Seja Bem Vindo!!!

Paz seja Convosco!!!

Depois de quase quatro anos sem nenhuma postagem (Precisamente 3 anos 9 meses e 18 dias), volto a ativa e Louvo a Deus por isso. Foi um período de tribulações, perdas materiais e muito planger. Porém, foi também um período de bençãos, quando ganhei mais três netos (um menino e duas meninas). É no deserto que podemos ter certeza que Deus jamais nos abandona (se fosse o contrário pereceríamos).

Um grande abraço!!!

Pastor Gilberto Pratas


O único caminho

O único caminho

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

O QUE DEUS ESPERA DE NÓS

TEXTO BASE: MIQUÍEAS 6:6-8

         Boa Noite Povo de Deus! Paz seja convosco.
         Como cristão é nosso desejo vivermos uma vida que agrade a Deus. Porém, no dia a dia, em nossa auto vigília somos surpreendidos fazendo coisas que segundo nosso próprio julgamento não agradam a Deus. Então sentimos que viver uma vida que agrade a Deus não é fácil. Diante desse quadro muitas vezes vem a nossa mente que seria muito mais fácil não ser cristão.
         Quantas e quantas vezes ao lermos as Sagradas Escrituras deparamos com versículos nos leva a achar que o que está ali escrito deveria ser colocado em prática em nossas vidas. Tais meditações nos trazem um senso de responsabilidade ao qual nos sentimos no dever de satisfazer todas as expectativas de Deus.
         Esse senso de responsabilidade e o sentimento de que devemos satisfazer todas as expectativas de Deus não é bíblico. Nenhum livro das Sagradas Escrituras está escrito que nós temos de satisfazer as expectativas de Deus, que Deus espera que cumpramos todos os mandamentos e a lei. E a própria Bíblia nos alerta contra isso, pois se assim procedermos tias atitudes nos roubará a alegria de conhecer a Cristo. Há um principio importante encontrado em quase todos os livros sagrados, podemos citar: romanos, Gálatas, Efésios, I e II Coríntios, que diz: Deus não exige de você perfeição; Deus não espera que você prove ser capaz de cumprir a sua Lei e os mandamentos. Se Ele achasse que você fosse capaz disso, Ele não teria vindo ao mundo para morrer por você.
         A Lei de Deus exige perfeição. Então para ser aceito na família de Deus segundo a Lei, teríamos de ser perfeito. No entanto a própria Palavra nos alerta que não existe nenhum homem perfeito. Isso nos revela porque Cristo Jesus teve que vir a Terra, morrer em nosso lugar, para nos salvar de nossos pecados. A nossa imperfeição nos afasta de Deus. Existe um imenso abismo entre a perfeição de Deus e a impiedade humana. Deus conhece esse abismo. A palavra nos fala sobre esse abismo quando o rico e Lázaro se avistaram em lados opostos deste abismo. Um não podia passar de um lado ao outro. O abismo é intransponível. Mas. O homem em seu dia a dia procura estreitar esse abismo. Ele Quer se sentir mais perto de Deus. Esse abismo sempre existiu e sempre existirá. Porém, aquele que recebeu Jesus em sua vida, foi perdoado, declarado justo, e é precioso aos olhos de Deus. Deus o ama incondicionalmente e você será completamente d’Ele apesar desse abismo.
         Apesar de sabermos desse imenso amor de Deus por nós, quantas e quantas vezes não passou por nossa mente que um dia Deus irá requerer algo de nós em troca. Mas se estivermos atento a Sua Palavra podemos ter a certeza de Ele jamais irá requerer algo de nossa parte por nos dar a salvação através de Cristo Jesus. Ele sabe perfeitamente que não temos nenhuma responsabilidade em satisfazer suas expectativas. Em nosso relacionamento não existe nenhuma cláusula de exigência. Observe:
Deus escolheu você antes da fundação do mundo.
Jesus veio ao mundo por você, para salvá-lo.
Jesus morreu por seus pecados.
Deus levantou pessoas para explicar os evangelhos para você.
Jesus se ofereceu para entrar em sua vida.
Deus colocou em você o desejo de conhecê-lo e de obedecê-lo.
Deus entrou em sua vida, declarou que você está justificado, perdoado e o chamou de filho.
Você se tornou cristão simplesmente ao responder a Deus em fé. 
         Como falamos acima não existe nenhuma cláusula que nos obrigue a satisfazer as expectativas de Deus. O desejo do coração d’Ele é que vivamos nossa vida cristã nesta terra respondendo a Ele em fé. Não é nossa responsabilidade  tentar agradar a Deus pagando nossa dívida com Ele. Essa é a economia de Deus: Ele nos deu a Salvação pela graça. Nós não merecemos nada e jamais iremos merecer independente de quanto podemos nos esforçar. Temos sim de ser gratos a Ele por nos propiciar tremenda graça. Tropeçamos muitas vezes por acharmos que devemos alguma coisa para Deus. É por esse motivo que deduzimos que por conhecer um pouco sobre a Bíblia, por termos aprendidos a orar, e por falarmos de Deus para outras pessoas, devemos então sermos um bom cristão para agradar a Deus. Eu pergunto: fazer as coisas corretas pode nos levar para o céu? Não! Essa conclusão é errada uma vez que jamais iremos conseguir através de nossos esforços agradar a Deus. Além de que fazer as coisas certas é um dever de cada pessoa. Isso jamais deverá ser coroado uma vez que fazer as coisas certa é uma obrigação e por si só nos livra das conseqüências de fazer o que não é licito. Deus nos ama não por nossos atos de justiça, mas sim pela sua misericórdia. Fomos declarados perdoados pela Graça de Deus, pelo que Cristo Jesus fez por nós na Cruz. Aprendemos que precisamos amar aos outros, ler a Bíblia, orar, testemunhar, etc. Com isso passamos a conhecer a Deus.
         Você pode estar pensando mas a Bíblia está repleta de mandamentos a serem cumpridos. É verdade, mas é na mesma Bíblia que está escrito que não conseguiremos obedecer a todos eles, e que se tropeçarmos em um único deles estamos condenados. Ela também nos diz que quanto mais nos esforçarmos em obedecer, mais veremos nossos pecados. Quanto mais tentarmos, mais nos sentiremos fracassados e mais distante nos sentiremos d’Ele.
         Paulo sentiu essa mesma frustração. Ele falou: a Lei é santa, o mandamento é santo, justo e bom. Ele tentava viver sob a lei, mas continuava pecando. Ele disse: Tenho o desejo de fazer o bem, mas não consigo realizá-lo; pois o que faço não é o bem que desejo, mas o mal que não quero fazer. E foi além: miserável homem que sou! Quem me libertará do corpo sujeito a esta morte? Mas, ele conhecia a resposta: Graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. E não para aí, vai além quando registra em Romanos: Agora, não há condenação para os que estão em Cristo Jesus.
         Alguém entre nós pode estar perguntando: Então eu não  devo obedecer aos mandamentos de Deus?
         Ei calma! Toda calma nesta hora!Não é isso que estou pregando. O que eu quero dizer é que não somos capaz por nossos esforços cumprir todos os mandamentos. Quando você olhar para os mandamentos de Deus não tente obedecê-los por conta própria, mas peça ao Deus que vive em seu coração para capacitá-lo a obedecer.
         Quando Cristo Jesus veio a esta terra, alem dos dez mandamentos  existiam  cerca de seiscentos mandamentos
que o judeu devia obedecer. Vamos convir que se trata de um número muito grande de mandamento para guardar. Foi nesta mesma ocasião que um fariseu tentando pegar Cristo em uma cilada fez a seguinte pergunta: Qual é o maior de todos os mandamentos?
         Cristo respondeu: Ame ao Senhor seu Deus de todo o coração, com toda tua alma, com toda sua mente. Este é o primeiro. O Segundo é semelhante ao primeiro: Ame o seu próximo como a si mesmo. Com esta resposta Cristo nos dá a resposta para a pergunta título desta pregação: Deus espera de nós que o amemos sobre todas a coisas e que nos amarmos uns aos outros. Amar é desejar o melhor para o próximo, é obedecer e fazer a vontade de Deus, é fazer o melhor de nós todos os dias. Nunca fazer o melhor esporadicamente, mas que esse melhor seja em todos os momentos de nossa vida, todos os dias. Olhe. Escute! Com essas palavras Ele não tem a intenção que saiamos por ai determinados a cumprir com entusiasmo essa missão e provar para ele quanto somos amorosos. O que Ele quer que você dependa d”Ele. Há uma grande diferença entre satisfazer a Deus por conta própria e em depender d’Ele, confiar n’Ele. Ele quer viver por meio de nós, em nós.
         Fazer coisas por conta própria mostra nossa imaturidade. Deus quer que você tenha prazer na liberdade e no amor de Cristo num relacionamento com Ele, confiando n’Ele, dependendo d’Ele, vendo a mão do Senhor em tudo, seja no negativo, seja no positivo. Tudo apoiado na obediência e no amor.
Amém. 

 Pregação realizada na
17ª IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR
CASCAVEL, 27.08.2017.

terça-feira, 25 de abril de 2017

SALVAÇÃO

TEXTO BASE: JOÃO 3:16-17


Nesta semana é comemorado pelo mundo cristão a semana da Páscoa: Para os cristãos católicos comemora-se a morte e ressurreição de Cristo Jesus. Para os judeus a Páscoa representa a liberdade do cativeiro egípcio. Já para nós cristãos evangélicos a Páscoa além da morte e ressurreição de Cristo Jesus representa a confirmação da Palavra de Deus que nos prometeu uma única solução para a sofrida humanidade pecadora: Cristo e Ele crucificado.
Esta semana nos leva a uma reflexão sobre SALVAÇÃO. O que é Salvação? Do que somos salvos?Quem é o nosso Salvador? Será que todos serão salvos?
A Bíblia Sagrada registra a palavra Salvação em mais de cento e quarenta passagens. Salvação segundo o dicionário da língua portuguesa significa ser livre do perigo ou destruição, porém a Bíblia utiliza essa palavra no sentido de que as pessoas ser libertas do pecado. O pecado é a causa da morte. E quem é liberto do pecado tem a esperança de nunca morrer.
A maioria das igrejas, atualmente, prega que para ser salvo basta ter fé. Isso não é apenas meia verdade. Uma vez que todos nós temos fé, pois acreditamos que algo de bom irá nos acontecer. A fé que salva deve ter um único alvo: Jesus e Ele crucificado.  Ter fé em Jesus é tê-lo como Salvador. Ter fé no que Ele fez por nós na cruz é tê-lo como Senhor.
Tê-lo como Salvador é fácil, o difícil é aceitá-lo como Senhor que nos resgatou pagando o alto preço por nós na cruz do Calvário. Tê-lo como Senhor é nos sujeitar a Palavra de Deus obedecendo as suas ordens.
Deus não criou uma salvação insuficiente. Ele criou um caminho mediante a morte de Cristo que garante a vitória. A missão de Cristo nesta terra é uma obra terminada uma vez que Ele se tornou homem, viveu entre nós, morreu, morte na Cruz e ressuscitou ao terceiro dia.
Assim como a Trindade é formada de três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo, mas existe apenas um Deus, também o homem apresenta uma tricotomia, isto é, ele é formado por espírito, corpo e alma. A salvação do homem deve ser completa, isto é, espírito, corpo e alma devem ser salvos. E Deus não deixou por menos, a salvação operada por Deus através de Cristo Jesus é completa pois inclui o homem completo: espírito, corpo e alma.
A salvação é um presente que Deus nos dá, é um presente dado pelo seu amor. É um presente que nós não merecemos. A salvação já foi decretada por Deus e se desenvolve em três etapas: Passado, presente e Futuro.
Ei! Espera aí! Então existe três salvação? Não. Não.
A salvação é única, uma só, mas se desenvolve em três etapas, no espírito, na alma e no corpo. Como assim? Simples.
Lá na cruz o plano de salvação de Deus começou a ser posto em prática (Passado). É por isso que Paulo afirma em I Coríntios 1:18 que somos salvos. Sermos salvos é um fato consumado. Porém, essa declaração de Paulo é mal interpretada por muitos cristãos achando que uma vez salvo pela morte de Cristo é salvo para sempre, como se estivesse eternamente salvos, independente de suas ações aqui na terra, independente do que venham a fazer de bem ou de mal não iriam perder essa salvação. Isto não é verdade.
A cruz de Cristo foi a concretização da primeira parte da promessa feita a Abrão de que alguém iria triunfar sobre Satanás. Essa promessa se cumpriu em Cristo Jesus. Na cruz Jesus fez a ponte entre o homem e Deus. De um lado a divindade de Cristo e a cruz fincada em terra firme do céu e do outro lado a humanidade de Cristo encravada na terra. Sua vida entregue e o seu sangue derramado foi o preço do pagamento de nossos pecados.
Sua morte e ressurreição não exigem nenhum esforço de nós, arquitetada por Deus foi única e suficiente para o resgate de todos, sem nenhuma condição imposta. Ao dizer “está consumado” o véu do templo se abriu de cima para baixo, abrindo a passagem do homem para Deus.
Nesta primeira etapa somos salvos de Satanás, do pecado, temos em nossas mãos a salvação do espírito. Nosso espírito está regenerado, estamos salvos do castigo eterno.
Com isso nos é oferecido uma saída. Nos é prometido uma grande recompensa ou uma severa punição. Cristo nos deixa livre para escolher – é o livre arbítrio que a Bíblia tanto fala -. Você pode escolher seu futuro dentro do plano de salvação de Deus.
Deus nos oferece reconciliação com Ele através da morte de Cristo. O homem saiu da posição que estava antes da queda. É necessário voltar a esta posição, mas isso não pode ser conquistado com méritos humanos, mas pelo favor de Deus. Essa é a primeira parte do Plano de Salvação para a humanidade e foi feito no passado através de Cristo Jesus.
Como já foi dito a salvação embora seja única ela é desenvolvida em três etapas e em três tempos diferentes. Na primeira, quando Paulo falou que somos salvos, indica que a porta que nos leva ao Trono da Graça está aberta.
Paulo diz em Romanos 5:10 que seremos salvos pela vida de Cristo. A salvação pela vida de Cristo consiste na segunda etapa do Plano de Deus para a salvação do ser humano. Nesta etapa a vida de Cristo nos salva de nós mesmos no que concerne a herança adâmica. Isso quer dizer que nesta etapa estaremos desenvolvendo a salvação de nossa alma. O amor de Deus é muito maior do que as transgressões praticadas por nós. O desejo de Deus é nos abraçar, cuidar, proteger, não permitir que nada nos falte.
Com a morte de Cristo fomos salvos do lago de fogo, mas se vivermos uma vida carnal, egoísta, sendo escravos do pecado, o sacrifício de Cristo Jesus foi em vão. É preciso que Cristo além de nosso Salvador espiritual também passe a ocupar em nossa vida o lugar que lhe pertence por direito: Ser o Senhor de nossa vida. É neste sentido que Paulo nos convida a desenvolver a salvação em Filipenses 3:20-21.  
Deus fez a parte que lhe compete através de Cristo. Agora resta a nós fazer a nossa parte. Sim fazer a nossa parte. Alguém pode perguntar: Pastor o senhor não está sendo incoerente. A Bíblia diz que somos salvos pela Graça de Deus. Sim é verdade somos salvos pela Graça. Observe: a salvação pela vida de Cristo não é mais salvação do castigo eterno, isto já está consumado, plenamente resolvido. Pela vida de Cristo teremos a salvação da alma. Aqui entra o livre arbítrio; Podemos aceitar o que Cristo fez por nós na cruz ou rejeitar. Aceitar ou rejeitar depende exclusivamente de nós, Deus jamais nos forçará a fazer aquilo que não queremos fazer.
Aceitando seremos favorecidos por milhares de promessas. Rejeitando teremos de arcar com nossa decisão e amargar a punição de nossos delitos. Qualquer decisão que tomarmos terá um final verdadeiro. Só existem estes dois caminhos: Aceitar ou rejeitar. Nada será imposto, mas devemos lembrar que em nós permanece a natureza pecaminosa e dela procede todas as transgressões que nos incapacita para a salvação.
Uma vez escapando da corrupção que pela concupiscência está no mundo então passamos a ser vigilantes, mostrando ao mundo a nossa responsabilidade de como o crente deve se portar com relação a vida cristã.
Lembrando que somos provados todos os dias. Deus prova aqueles que Ele ama. Devemos nos alegrar no ato de sermos provados e participantes das aflições de Cristo para que na revelação de Sua Glória possamos gozar de tremenda alegria. Acrescentando a nossa fé a virtude; a virtude o conhecimento; ao conhecimento a domínio próprio; a domínio próprio a paciência e a paciência a piedade; e a piedade o amor fraternal tratando a todos como a irmãos de sangue. Se assim procedermos jamais seremos ansiosos e estéreis, pois o amor de Deus será abundante em nossas vidas.
Estaremos então preparados e teremos alegria em relação ao que fizermos deixando o passado para trás. Olhando para frente, não permitindo que raízes amargas venham interferir em nosso presente, lembrando que Deus já nos perdoou e nenhuma condenação há para os que estão
em Cristo Jesus.
Deus nos prometeu através de Jeremias (31:34) que nunca se lembrará de nossos pecados. Se ele não se lembra mais por que então nós não o esquecemos? Quanto tempo você fica lembrando uma conta que você já pagou nos mês passado? Você lembra quanto você pagou de água, luz, na páscoa de 2010?
Paulo diz: Esquecendo as coisas que ficam para trás, prossigo no alvo, avançando para as que estão adiante de mim, pelo premio de soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.
Então é nossa opção aceitarmos ou rejeitarmos. Essa vida na terra é breve e chegara o momento em que Deus irá separar aqueles que viverão com Ele na Eternidade daqueles que terão morte espiritual, isto é a separação eterna de Deus.
Cristo ira voltar para buscar a sua igreja e todos os salvos, isto é aqueles que aceitaram as condições de uma vida pura, ressuscitarão ou serão arrebatados para encontrar com Ele nas nuvens. Então ai se completará a salvação do ser humano e nossos corpos mortais e corruptíveis serão transformados em corpos incorruptíveis e glorificados semelhante ao de Nosso Senhor e Salvador (I Cor 15:51).
Essa é a terceira etapa da salvação que será feita num
futuro bem próximo e nossos corpos serão salvos e glorificado. Vimos que a salvação começa pelo espírito, se desenvolve no presente na alma e terá cumprimento final no futuro com a vinda de Cristo culminando com a glorificação de nosso corpo.
Sabemos que nosso caminho é longo, cheio de pedras de tropeço, mas seguiremos confiantes, de cabeça erguida, pois sabemos que lá no final teremos alguém a nos esperar, alguém que hoje nos ajuda, chama-nos para levantar quando estamos caídos, sua mão não se cansa sempre está estendida em nossa direção a nos guiar.
A Ele devemos tudo: o nascer, o viver, o morrer. Morrer para o mundo e viver para Ele: Cristo Jesus.   
            
                                                                                                   Pregação realizada na
17ª IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR


CASCAVEL, 16.04.2017

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

PRINCÍPIOS QUE CONDUZEM PARA A SALVAÇÃO.

TEXTO BASE: Marcos 8:34: Lucas 9:23

Boa noite povo de Deus! Paz seja convosco.
Ao lermos este versículo deparamos com três situações que nos levam a uma reflexão: tomar a cruz, negar-se a si mesmo e seguir a Cristo Jesus.
Você já parou para meditar a cerca destes três princípios que conduzem a salvação. Em verdade são mandamentos d’Aquele que tem poder para salvar.
TOMAR A CRUZ. Existe na realidade dois tipos de Cruz: a de Cristo Jesus e a nossa. Levarmos a cruz não é sinônimo de sofrimento e sim fazer da cruz de Cristo o objeto de nossa fé. Somos salvos e vitoriosos não pelo sofrimento e sim pela fé.
         Literalmente Cristo Jesus levou a sua cruz até o Golgota. Isso Ele fez por nós, para que tivéssemos vida e vida com abundância. Esse era o seu propósito ao vir a esta Terra como Homem. Ele fez a parte que cabia a Ele. Agora nos resta fazer a parte que cabe a nós. Qual é a nossa parte? Sacrifício? Sofrimento? Não! Embora em nossa caminhada possamos vir a sofrê-los. Antes, porém devemos saber: qual é o verdadeiro propósito se nossas vidas? Nosso propósito é uma vida concentrada em Cristo? Desejamos aceitar uma vida cheia de cruzes? Se assim for podemos dizer: Não serei eu mais quem vive, mas Cristo vive em mim (Gálatas 2:20). O livro de Filipenses nos mostra a verdade quando diz: desenvolvei a salvação. Somos justificados perante Deus pela fé. As obras que somos exortados a fazer nada acrescentam a uma salvação perfeita, a qual está fundamentada sobre o princípio da fé somente. As obras manifestam esta fé aos olhos dos que nos rodeiam e mostram que vivemos no temor de Deus. Que nenhum filho de Deus duvide de sua salvação. Nossa Salvação descansa sobre o que Cristo fez e não sobre o que nós fazemos. Mas cada um manifeste sua fé por meio de suas obras. E poderá provar toda felicidade que resulta da obediência: Se guardardes meus mandamentos, permanecereis no meu amor. Tenho vos dito estas coisas para que o meu gozo esteja em vós, e o vosso gozo seja completo  (João 15:10-11).
NEGAR-SE A SI MESMO. Existe uma confusão quando falamos em negar-se a si mesmo. O motivo pelo qual negamos a nós mesmo é para seguir a Cristo e não para ganharmos salvação eterna. Esse é o ponto chave: o verdadeiro modo de viver é seguir a Cristo. viver com Ele.
         Se nosso cuidado for com a vida eterna então viveremos para nos salvar e, esta é a melhor maneira de perder a vida. A única maneira de achar a vida é dando a nós mesmos, dando nossa vida a Deus para o seu serviço em amor.
         Negar-se a si mesmo é afastar da sua própria independência em favor de submissão a outro, é dizer “sim” a Cristo Jesus e “não” ao eu. Dizer não a nossa própria vontade. Paulo disse aos Romanos:

 Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus (Romanos 12:1-2).
          Lembra do filho Pródigo? É isso aí. Ele não fez a tarefa de casa. Ele desperdiçou todas as condições dada por Deus em coisas passageiras que não levam a nada. Melhor dizendo que levam somente a perdição. Esbanjou tudo o que Deus lhe deu em coisas que perecem.
         Você já imaginou se Deus fosse igual a nós: egoísta, rancorosos... Mas, graças a Deus que o nosso Deus não é humano. Ele é um Deus misericordioso que conhece as nossas fraquezas e limitações, Ele está sempre com a mão estendida para ajudar a nos levantar.
         Sabe irmão é fácil entrar no inferno. Impossível é sair dele. E para nós só existe escolher uma alternativa Céu ou Inferno. A única maneira de fazer o céu nosso lar futuro e eterno é aceitar a Cristo Jesus. Ele é a única porta, todos os demais caminhos levam ao Inferno.
SEGUIR A CRISTO JESUS. Jesus não estava chamando as pessoas para segui-lo pelas poeirentas  estradas da Galiléia. Ele
quer  com  isso dizer que devemos imitá-lo, obedecê-lo e servi-
lo. Pedro fala:
Porque para isto sois chamados; pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as suas pisadas (I Pedro 2:21). 
         Seguir seus passos, isto é Ele é o guia, o Rei. Seguir implica desistir do eu e iniciar um novo rumo, andar na fé, na caridade, no amor ao próximo, ter coragem de dar a tua vida por alguém que primeiro deu a você.
Paulo disse aos Efésios: Sede, pois imitadores de Deus como filhos amados, e andai em amor, como Cristo nos amou e entregou a si mesmo por nós (Efésios 5:1-2).
Cristo não veio para ser servido e sim para servir. O servo de Deus deve andar como verdadeiro imitador de Cristo. Ser cristão é nos identificarmos com Cristo: confessando-o, vivendo a vida cristã, afastando-se das artimanhas do mundo. Lembre-se ninguém é salvo por ter Jesus como exemplo, mas apenas por tê-lo como Salvador.
Faça uma análise e procure qual o obstáculo entre você e a obediência ao Senhor. Peça ajuda a Deus, destrua esses  obstáculos e usufrua com Deus a Eternidade. Amém.



PREGAÇÃO REALIZADA NA
17ª IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR    
CASCAVEL, 19/02/2017.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

O DESAFIO DE SEGUIR A CRISTO

TEXTO BASE: JOÃO 6:35-37

Cristo em várias oportunidades fez o convite: Segue-me. É notório que este convite foi feito para os seus discípulos (Mateus 8:22, 9:9, Marcos 2:14, Lucas 5:27, João 1:43), mas em outras oportunidades Jesus chamava a quem quisesse o que Ele tinha para oferecer (João 3:16, Marcos 8:34).
Durante a minha vida cristã ouvi muitos pastores dizer que seguir a Cristo Jesus é fácil e não custa nada, porém ao analisar profundamente o significado de seguir a Cristo Jesus deparo com uma condição necessária e suficiente para todos os que O querem seguir: o caminho da Cruz. Então observo que o caminho da Cruz não é um caminho fácil de ser seguido e tem um custo altíssimo.
E, infelizmente, no dia a dia encontro muitas pessoas que querem seguir a Cristo Jesus, mas poucos são os que estão dispostos a pagar o preço para seguir pelo caminho da cruz. Sabemos que o chamado foi feito para todos, sem exceção alguma, mas poucos conseguem chegar ao final da jornada e são escolhidos. O que mais impressiona é o fato de que a maioria daqueles que se dispõem a seguir Cristo Jesus não entendem o verdadeiro significado destas palavras. Associam ser um seguidor de Cristo com o ser religioso, pertencer a rol de membros de uma igreja, ter um cargo, ser um assíduo frequentador da igreja, participar de suas festividades e outros.  
Em meu modo de pensar acredito que Cristo Jesus de forma alguma iria morrer para fazer crentes religiosos e muito menos assíduos frequentadores de Igrejas. Ele morreu para fazer discípulos. Ser religioso, ser frequentador de igrejas é muito fácil, uma vez que para isso não precisa nascer de novo, não precisa renunciar a nada e muito menos seguir o caminho da cruz.
Para seguir a Cristo Jesus é necessário nascer de novo, abandonando vícios, costumes e tradições contrárias a Palavra de Deus. Porém, isso tudo não pode ser por força nem por  violência. Deve ser um ato voluntário da parte daquele que se dispõe segui-Lo. Cristo falou: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. Negar a si mesmo tem a ver com renuncias. Renunciar é muito mais do que deixar de participar de certos eventos e prazeres. Renunciar é deixar de lado coisas que normalmente fazíamos e que não agrada a Deus por ser contrárias aos ensinamentos bíblicos; é privar-se de todas as regalias contrárias aos bons costumes. Enfim, negar-se a si mesmo está relacionado com nossos pecados, com nossos conceitos com nossos desejos, com nosso ego. Negar-se a si mesmo é deixar o pedestal que nos colocamos, deixar o comando e a direção de nossa vida e entregá-la a Cristo Jesus.  Negar-se a si mesmo significa viver uma vida  de auto-negação, é permitir que a vida de Cristo seja  vivida em nós e através de nós.  É abrir mão de nossos direitos,  privilégios, tempo, bens para servir a nossos semelhantes, sem alarde, sem chamar atenção, vivendo a vida de Cristo.  
         Mas Cristo foi além, determinando que tomássemos a nossa cruz. Carregar a cruz significa identificar-se com Cristo Jesus e seu sofrimento. Ele entregou sua própria vida, com morte violenta, vergonhosa por amor de nós. Carregar nossa cruz é suportar por amor a vergonha e as conseqüências do pecado de nossos irmãos e não irmãos em Cristo Jesus, ajudando-os a carregar seus fardos. Carregar nossa cruz é estar prontos para enfrentar os problemas que surgirão por tomarmos a decisão de segui-lo. Ao lançarmos a mão no arado, não podemos olhar para traz. Precisamos estar dispostos para enfrentar o que der e vier. Nossa cruz pode ser qualquer coisa contrária a Cristo, pode começar pela simples rejeição na família, pela zombaria dos colegas, por perseguição dos “religiosos”, das tentações, seduções, da vaidade e mesmo da luta entre a carne e o espírito determinando um conflito entre os meus interesses (carne) e o interesses do reino (espírito). Tomar a cruz é ter disposição para obedecer a Jesus. Importa mais obedecer a Deus do que aos homens. Essa luta diária é nossa cruz. Cristo Jesus falou: Aquele que quer me seguir tome cada dia a sua cruz e venha. Ou, aquele que não tomar a sua cruz não pode ser meu discípulo. Seremos aprovados por Deus quando verdadeiramente cremos Em Cristo Jesus. Crer significa ser crucificado com Ele. É entregar nossa vida a Cristo e poder dizer com todas as letras: eu não vivo mais, é Cristo que vive em mim.
         Seguir a Cristo é colocá-lo na frente de todas as demais coisas existentes. Cristo Jesus não nos quer pela metade, nem a terça parte ou mesmo noventa e nove por cento. Ele nos quer por inteiro. É por isso que declaro que seguir a Cristo não é uma missão fácil como muitos dizem por ai. Como já falei é um ato de renuncia, perseverança e muita fé. Cristo nos fala que Ele não veio trazer paz a Terra, mas espada, que nossos inimigos seriam os da nossa própria casa. Ele foi muito claro quando disse que no mundo tereis aflição, mas tenham bom ânimo, eu venci o mundo. Com isso Ele quer dizer que nossa vida não será um mar de rosas, muito pelo contrário, vamos encontrar problemas, dificuldades, lutas e aborrecimentos. Porém, Ele nos prometeu estar ao nosso lado e nos garantiu que sempre seremos vitoriosos. Assim como Ele foi perseguido nesta terra, nós também seremos, da mesma forma que Ele venceu o mundo nós também iremos vencer com a Sua ajuda. Basta para isso seguir o aviso da Palavra de Deus: Esforça-te e tem bom ânimo, Se a mim me perseguiram, também perseguirão a vós, não temas Eu te ajudo.
         Poderíamos ficar horas e horas falando sobre esse tema. Precisamos encerrar e para finalizar quero deixar registrado que por mais pesado que possa parecer a cruz, Jesus há de nos dar Graça para levá-la. Pois já dizia aos seus primeiros seguidores: Fiquem firmes em mim, e deixem-Me viver em vocês. Pois um ramo não pode dar fruto quando estiver separado da videira. Nem vocês podem produzir frutos separados de mim. Sem mim nada podeis fazer (João 15:4) e Paulo testemunhou: Posso todas as coisas naquele que me fortalece (Filipenses 4:13).
         Amém.
 Pregação realizada 
Na Igreja Fonte de Água Viva
Cascavel, 28/01/2001