Seja Bem Vindo!!!

Paz seja Convosco!!!

Depois de quase quatro anos sem nenhuma postagem (Precisamente 3 anos 9 meses e 18 dias), volto a ativa e Louvo a Deus por isso. Foi um período de tribulações, perdas materiais e muito planger. Porém, foi também um período de bençãos, quando ganhei mais três netos (um menino e duas meninas). É no deserto que podemos ter certeza que Deus jamais nos abandona (se fosse o contrário pereceríamos).

Um grande abraço!!!

Pastor Gilberto Pratas


O único caminho

O único caminho

sábado, 20 de fevereiro de 2010

A Fábula do Executivo

Esta é a fábula de um alto executivo que, "estressado", foi um dia ao psiquiatra. Relatou ao médico o seu caso. O psiquiatra, experiente, logo diagnosticou:
- O Sr. precisa de se afastar, por duas semanas, da sua atividade profissional. O conveniente é que vá para o interior, isole-se do dia-a-dia e busque algumas atividades que o relaxem.

Então, o nosso executivo procurou seguir as orientações recebidas. Munido de vários livros, CDs e "laptop", mas sem o celular, partiu para a sitio de um amigo.

Passados os dois primeiros dias, o nosso executivo já havia lido dois livros e ouvido quase todos os CDs. Porém, continuava inquieto. Pensou, então, que alguma atividade física seria um bom antídoto para a ansiedade que ainda o dominava.

Procurou o capataz do sítio e pediu-lhe trabalho para fazer. O capataz ficou pensativo e, vendo um monte de esterco que havia acabado de chegar, disse ao nosso executivo:
- O Senhor Doutor pode ir espalhando aquele esterco em toda aquela área que será preparada para o cultivo.

Pensou o capataz para consigo próprio: "Ele deverá demorar uma semana com esta tarefa”. Puro engano!

No dia seguinte já o nosso executivo tinha distribuído todo o esterco por toda a área. O capataz deu-lhe então a seguinte tarefa: abater 500 galinhas com uma faca.

Tarefa que se revelou muito fácil para o executivo ansioso: em menos de 3 horas já estavam todos os galináceos prontos para serem depenados! Pediu logo nova tarefa.

O capataz disse-lhe então:
- Estamos a iniciar a colheita de laranjas. O Senhor Doutor vá, por favor, ao laranjal e leve consigo três cestos para distribuir as laranjas por tamanhos: pequenas, médias e grandes.

Passou o dia e o executivo não regressou com a tarefa cumprida. Preocupado, o capataz dirigiu-se ao laranjal. Viu o nosso executivo, com uma laranja na mão, os cestos totalmente vazios, e a falar sozinho:

- Esta é grande. Não, é média. Ou será pequena???
- Esta é pequena. Não, é grande. Ou será média???
- Esta é média. Não, é pequena. Ou será grande???

MORAL DA HISTÓRIA:

Espalhar a merda e cortar cabeças é fácil.
O difícil é tomar decisões.

Autor desconhecido

Pastor Gilberto Pratas: Lutando contra Gigantes

TEXTO BASE: ROMANO 8:36-39
Como diz a Palavra: todos os dias somos entregues a morte por causa de nosso amor a Cristo Jesus.

Nesta caminhada praticamente todos os dia enfrentamos gigantes. Neste caminho há gigantes que precisam ser enfrentados e vencidos. Eu costumo dizer que esta é a única competição onde o segundo lugar não trás nenhuma honra para o competidor, pois chegar em segundo lugar é sinônimo de derrota porque o vencedor é o nosso inimigo (diabo). Nesta caminhada os gigantes enfrentados pelo caminho irão revelar se somos covardes ou corajosos.

Quem são esses gigantes?
A Bíblia Sagrada nos revela um grande numero de exemplos: é o gigante do medo representado por Golias; é o gigante da frustração representado por Ana; é o gigante da opressão representado por Saul e tantos outros reis e governos em todos os tempos; é o gigante da incerteza, preocupação, da dúvida, do ressentimento, ou qualquer outro nome que possa-mos dar a estes gigantes. Em cada esquina encontramos gigantes diferentes que se posicionam contra nós de modo a impedir o nosso prosseguir.

Diante destes gigantes muitos de nós ficam paralisados, e a vida deixa de caminhar adiante, e nós paralisados, ficamos olhando os gigantes passar. Outros recuam diante das situações difíceis por medo ou por se acharem pequenos demais para enfrentar os gigantes problemas que surgem a sua frente, sem saber o que fazer nos sentimos frustrados, derrotados, sem ânimo.

Esse era o sentimento que estava no povo de Israel quando foram defrontados pelo gigante Golias.

Mas,Deus não quer que aceitemos esta situação. A Palavra nos afirma que nada pode nos separar do amor de Deus, e que em Cristo Jesus somos mais que vencedores.

Portanto,Deus espera muito mais de nós.

Os gigantes que enfrentamos tem nomes diferentes, mas não importa qual o seu nome porque Deus é maior do que qualquer gigante. Ele irá adiante de nós como Fogo Consumidor.

Ele nos conduz a novas terras, como fez com o povo Hebreu, Ele nos conduz a uma melhoria em nosso casamento, Ele nos conduz a realizações profissionais, Ele nos conduz a um crescimento espiritual, por fim, Deus está sempre pronto a nos conduzir a um novo tipo de terra, Ele quer nos levar a cruzar fronteiras, Ele quer alargar as nossas fronteiras. Nós não podemos permitir que sombras de gigantes nos impeçam de seguir adiante para a vitória.

Lembre-se que as mãos de Deus esta sobre nós. É Ele que abre as águas do Jordão em nossas vidas para entrarmos na Terra que emana leite e mel para a conquistarmos.

Estas ordens de Deus para marcharmos podem trazer um frio em nossa espinha, pode nos deixar agitados e ansiosos para avançar. É verdade que a hora da batalha chegou para cada um de nós, mas uma coisa importante que não deve ser esquecida por nenhum de nós é que no campo de batalha precisamos de artilharia pesada que é fornecida por Deus (Efésios 6). Então devemos tomar posse destas armas e seguir em frente lembrando sempre que você só vencerá gigantes quando:
Tapar os ouvidos para a voz do pessimismo. Vencedores de gigantes não são covardes, eles não fogem ante as desventuras, são perseverantes, não podem se contentar com nada menos que a vitória. Os vencedores nunca desviam seu olhar do alvo, não importa se a sua volta todos acham impossível a vitória. Ele não ouve a vóz dos pessimistas, ele não dá atenção aos medrosos, ele sabe em quem confiar. Este foi o panorama encontrado por Davi quando chegou ao campo de batalha, ali encontrou um exército cheio de medo e pessimismo.

Você vence gigantes quando triunfa sobre as criticas dos que estão a sua volta. A critica os machuca quando questiona os nossos motivos e aspirações, principalmente quando vem de pessoas que nos conhece. Ela nos machuca quando parte de pessoas que não acreditam em nosso potencial. Porém, o vencedor triunfa sobre tudo isso e não deixa que criticas coloquem medo em seu coração, o vencedor foge das criticas e vence os gigantes. Davi foi criticado, menosprezado quando se propôs a lutar contra Golias.

O vencedor não luta com armas alheias. Não podemos enfrentar gigantes com armas alheias. As pessoas querem que você seja igual a elas ou se torne iguais a elas, mas lembre-se você é uma pessoa única, não existe ninguém igual a você. Você só irá vencer os gigantes com os dons e talentos que Deus lhe deu. Não foi diferente com Davi, pois queriam que ele usasse a armadura do Rei Saul.

O vencedor tem de estar determinado a vencer. Olhe o exemplo de Davi, Ana e tantos outros. Você tem de ser um homem (ou mulher) determinado. Deus não nos criou para sermos fracassados. Ele quer nos conduzir ao triunfo, então não desista nunca de lutar.

O vencedor reconhece que a vitória vem de Deus e a Glória deve ser devolvida a Ele. Deus é quem nos conduz ao triunfo. A vitória vem de Deus. É Ele que nos fortalece para a batalha. Ele é nosso Criador, Redentor, Protetor e Sustentador. Não são nossas forças, sabedoria ou estratégias que vencem batalhas, mas sim o Nosso Deus que as vence por nós. Portanto, devemos dar Glórias a Deus por todas as vitórias que alcançamos. Só Ele é digno de Louvor. Só a Ele deve ser toda a Glória. Só Ele deve ser engrandecido. Lembre-se só em Cristo temos vida, esperança e salvação.

Por fim irmãos, nesta trajetória já vencemos muitos gigantes, porém, outros se levantarão contra nós, a luta continuará até que Ele nos chamar, mas enquanto aqui estivermos é necessário não desanimar, lutar sempre, não deixar nada nos intimidar, pois sabemos que Deus sempre nos conduzirá a vitória, nunca nos deixará sós. O inimigo tentará de todas as formas usar pessoas derrotadas para abafar o Deus vivo que se revela a nós, mas, ele não pode roubar de nós essa revelação de vida, pois ele é um derrotado.

Amém.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Pastor Gilberto Pratas: A Estação da Colheita

Estamos vivendo um momento no qual Deus tem nos revelado que a estação da Igreja está mudando, ou seja, está em transição para algo superior que está no coração do Pai. Vivemos o momento onde ocorre o derramamento da unção para criação de músicas e letras cheias do Espírito Santo. Presenciamos um vinho novo na adoração e no louvor que veio de forma poderosa sobre a Igreja Brasileira. Temos a insaciável fome e sede de querer agradar o coração de Deus através de uma vida em santidade e um coração quebrantado. Todavia, o Senhor agora está nos chamando para olharmos algo diferente: as almas, que são tão preciosas aos seus olhos. A seara está branca, pronta para a colheita, e Deus quer que saíam de dentro “das quatros paredes” dos templos, para as ruas, com o fim de evangelizarmos e ganharmos as vidas que estão perdidas e sem salvação para o seu reino de amor.

Às vezes pensamos que não temos nada a oferecer, porém, Deus é quem nos capacita e nos chama e o que temos devemos compartilhar e doar. Um bom exemplo é um menino que a Bíblia nem mesmo cita seu nome, mas que entrou para a história cristã como participante de uns dos maiores milagres realizados por Jesus, o da multiplicação dos pães e peixes. A disponibilidade de coração daquele menino em doar os seus cinco pães e seus dois peixinhos, possibilitou que milhares de pessoas recebessem alimento através da multiplicação que Jesus realizou. Um outro exemplo é os muitos missionários que no início do século XX, eram enviados para a África, deixando para traz famílias, amigos e conforto, e acabavam morrendo no primeiro ano de trabalho por contraírem doenças características das regiões africanas. Mediante a este relato podemos pensar que o trabalho e a disponibilidade daqueles homens e mulheres foram em vão, mas pelo contrário do que pensamos, estas regiões que tiveram a vida e o sangue destes missionários é onde podemos encontrar as maiores populações de cristãos no continente africano.

Deus derramou a unção e o mover da adoração, da qual tanto nos enchemos e embriagamos, agora não podemos deixar passar o mover para a colheita. O mundo está clamando por salvação. Tem que haver mais do que somente ficarmos dentro de nossos templos contemplando as músicas que Deus tem-nos dado. Isto é egoísmo, temos que compartilhar estas maravilhas com as almas que estão caminhando a passos largos para o inferno. Precisa haver mais, precisamos buscar mais.

Deus nos capacitou e nos chamou para
ganharmos almas, para fazermos diferença,
para sermos luz que ilumina a escuridão.

Há várias maneiras de contribuirmos para a colheita: indo, orando, intercedendo, ofertando e o mais importante pregando a tempo e fora de tempo. Às vezes você não vai servir em outro país, estado ou cidade como missionário em tempo integral, mas pode contribuir com ofertas e orações, dando suporte e possibilitando para que outro vá e faça a obra. Talvez você não vai sair de madrugada para evangelizar nas ruas, mas pode se levantar em intercessão para a vida daqueles que foram e estão evangelizando.

Queridos, precisamos tomar consciência
de onde estamos e para onde estamos
indo como Igreja de Jesus.

A viúva de Sarepta usou o resto do azeite que tinha em casa e fez um pão para o profeta Elias, abençoando aquele homem que levava a palavra de Deus. Ela não pensou na seca e crise econômicas que o país estava passando, ou, que aquele pão poderia ser a última refeição que poderia ter juntamente com seu filho antes de morrerem. Talvez até tivesse ponderado estes fatos, entretanto, aquela mulher creu que Deus era poderoso para fazer infinitamente mais que sua mente humana pudesse imaginar. E Deus em sua majestade e poder fez prosperar onde não havia esperança de salvação para vida da viúva e de seu filho. Olhando por um outro ângulo vemos uma mulher que não se limitou em sua fé ao se predispor em ajudar o seu próximo.

Fique atento para que você não fique somente com um espectador daquilo que Deus está fazendo na Igreja, esteja pronto para trabalhar na seara. Faça parte e aproveite a oportunidade que Deus tem-nos dado. Não tente agradar a Deus com sacrifícios vãos, escute aquilo que Ele tem te falado e te chamado para fazer. Obedecer é melhor que sacrificar.

Pastor Gilberto Pratas: Sete Passos Para Que Nossa Oração Seja Ouvida

Texto Base I SAMUEL 1

Neste capítulo nos é relatada a história de Elcana e suas duas mulheres. Elcana, homem das montanhas de Efraim tinha duas esposas: Ana e Penina. Todo ano ele subia de sua cidade para adorar ao Senhor. Ana era estéril e Penina tinha filhos. Por esse motivo Penina abusava de Ana e a irritava. Numa dessas subidas para adoração Ana se entristeceu muito, chorou e não comeu. Depois ela orou ao Senhor com grande Aflição.

Diz a Palavra que ela fez um voto ao Deus Eterno: Senhor dos Exércitos! Se benignamente atentardes para a aflição de tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva não te esqueceres, mas à tua serva deres um filho varão, ao Senhor o darei por todos os dias da sua vida, e sobre sua cabeça não passará navalha.

Diz ainda a Palavra que ela demorou-se perante o Senhor e somente seus lábios se moviam enquanto ela orava, pois ela falava com Deus pelo coração. Eli o sumo sacerdote a observava e julgou que ela estava embriagada e a repreendeu. Porém, ela se justificou dizendo: Não, senhor meu, eu sou uma mulher atribulada de espírito, não bebi vinho nem bebida forte, porém a minha alma tenho derramado perante o Senhor. Eli lhe respondeu: vá em paz e o Deus de Israel lhe conceda a petição que lhe fizeste. Ela foi seu caminho e voltou para sua casa e o Senhor lembrou-se dela e ela concebeu um filho a quem chamou Samuel (Samuel = atendido por Deus).

A partir deste texto podemos extrair sete passos para que nossas orações sejam atendidas por Deus.

01. O Senhor tem que ser o fundamento. Nosso Senhor Jesus Cristo deve ser o alvo de nossa oração. A palavra nos exorta para que oremos em o Nome de Jesus ao Pai celestial:Tudo que pedires em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho (João 14:13).

Naquele dia nada me perguntareis em verdade, em verdade vos digo, se pedires alguma coisa ao Pai, Ele vo-la concedera em meu nome. Até agora nada tendes pedido em meu nome; pedi e recebereis, para que vossa alegria seja completa. (João 16:23-24).

A chave para que nossas orações sejam respondidas é pedir em o nome de Jesus Cristo. Ele é o caminho para chegarmos diante do Pai. Ana disse: ao Senhor o pedi. Samuel é o resultado do poder do nome do Senhor. Ana creu e se tornou fértil, ela cria que Deus é o Deus das coisas impossíveis. Ele se compromete com a sua Palavra quando oramos e não duvidamos, cremos somente. A palavra de Deus é reta e todo o seu proceder é fiel (Salmos 33:4).

02. Levantar-se para obter a vitória. Ana estava triste, abatida, no entanto ela levantou-se, venceu a si mesma e foi ao templo para orar. Deus não ama os covardes. É necessário vencermos a nós mesmos. Nós temos que nos levantar para fazermos nossas orações, assim como Cristo se levantava e procurava uma região deserta (Mateus 14:23; Marcos 1:25). Os piores inimigos da oração é o cansaço, o corre-corre de cada dia, a preguiça. Devemos vencer todos esses impedimentos.

03. Não esconder a atitude do nosso coração. Ana contestou ao sacerdote, dizendo: Não senhor não bebi vinho, nem bebida forte. Sou mulher atribulada de espírito, porém venho derramando a minha alma perante o Senhor. Ela sofria porque não podia ter filhos e era provocada por sua rival. Ela estava humilhada, irritada, e não escondia o seu estado. Confessou: Tenho derramado minha alma perante o Senhor.

Ouve, Senhor, a minha súplica, e cheguem a ti os meus clamores. Não escondas de mim o Teu rosto no dia da minha angustia. Inclina para mim o teu ouvido, no dia em que eu clamar, ouve-me depressa. (Salmo 102:1).

Diga ao Senhor toda a verdade, mesmo o que você não entende, não oculte nada, diga-lhe tudo. Quanto mais sincero formos mais depressa vamos desfrutar do seu auxílio.

04. O importante é a fé e a atitude de nosso coração e não a forma exterior. Ana orou com o coração, somente seus lábios se moviam. Isso levou Eli julgar que ela estava embria-gada. Não devemos orar para mostrarmos aos outros, devemos primeiramente agradar a Deus, falando com o coração. Jesus disse: O Pai vê em secreto e Ele te recompensará. Deus ouve até os nossos suspiros. Ele penetra em nossos pensamentos.

A fé nasce no coração e é transmitida por nossos lábios. Uma árvore arrancada morre sem a seiva. Da mesma forma que nós sem fé morreremos. É preciso receber a seiva preciosa do Senhor. Essa Seiva nos fortifica e nos ensina a orar. Deus guarda nossas orações, nossas lágrimas, nossos pedidos e nos dará um milagre maior do que imaginamos.

05. Esvaziar-se perante o Senhor. Tenho derramado a minha alma perante o Senhor, foram as palavras de Ana. Importante não é o tempo que ficamos perante o Senhor em oração e sim o fato de esvaziar o nosso coração diante dele. Deus quer que oremos no Espírito, permitindo que o próprio Espírito possa nos conduzir e permaneçamos na dependência dele.

06. A nossa motivação e nosso alvo devem ser o Senhor e o Seu reino. O motivo de nossa oração não deve ser egoísta. Ana orou procurando a honra do Senhor e do Seu reino. Nossas orações não devem visar apenas vitórias pessoais como subir na vida, nos tornarmos importantes ou termos sucesso. Devemos orar para alcançarmos frutos para a eternidade, para que a honra e a glória de Deus seja exaltada.

A fonte de nossa vida está nos pensamentos, se temos pensamentos de paz seremos pessoas que sentem e falam de paz, se temos pensamentos de medo, sentimos e falamos de medo. Nós adultos sabemos que tudo na vida tem um preço a ser pago. Os imaturos sofrem e não aprendem a andar nas dificuldades da vida, suas atitudes infantis custam caro e traz grandes dores e perdas profundas.

07. Não permanecer na petição, mas chegar a adoração. Depois de orarmos devemos seguir nossos caminhos como se já tivéssemos sido vitoriosos. Ana levantou-se de madrugada e adorou a Deus junto com seu esposo. Quando conseguimos chegar à adoração significa que o nosso intimo foi liberto e o nosso assunto da oração como se já tivesse sido respondido.

Muitas pessoas não liberam sua fé com medo que Deus não lhe dê os resultados desejados, mas Ele não nos deixará decepcionados em nenhum momento de vida. Em vez de se decepcionarem às pessoas precisam compreender que se o milagre não aconteceu é porque não era um milagre, mas um problema.

A adoração permite que olhemos além do assunto da oração, olhemos para Aquele que atende as orações. A Palavra diz que depois que Ana tinha adorado com fé e recuperado o seu ânimo, Deus lembrou-se dela e ela concebeu.

Portanto: levante-se, ore.

Lembre-se Deus está com as mãos estendidas e prontas para derramar bênçãos sem medida sobre a sua vida.

Amém.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

John Piper - Seja Sal e Luz!

Meu Respirar - Vineyard e Nívea Soares