Seja Bem Vindo!!!

Paz seja Convosco!!!

Depois de quase quatro anos sem nenhuma postagem (Precisamente 3 anos 9 meses e 18 dias), volto a ativa e Louvo a Deus por isso. Foi um período de tribulações, perdas materiais e muito planger. Porém, foi também um período de bençãos, quando ganhei mais três netos (um menino e duas meninas). É no deserto que podemos ter certeza que Deus jamais nos abandona (se fosse o contrário pereceríamos).

Um grande abraço!!!

Pastor Gilberto Pratas


O único caminho

O único caminho

terça-feira, 24 de maio de 2016

CORTANDO O MAL PELA RAIZ

TEXTO BASE: TIAGO 3:11-12; JOEL 2:11

Boa noite povo de Deus! Paz seja convosco.
Nesta noite vamos falar e meditar em como podemos cortar o mal pela raiz!
Todos nós temos conflitos. Quem não os tem?
Uns lutam todos os dias com seus conflitos externos. Os  Conflito externo, em termos muito gerais, refere-se às ameaças que se originam fora da pessoa e que ameaçam o progresso em direção a um objetivo. Entre os conflitos externos destrutivos podemos citar: inveja, fofoca, desentendimento, ambição, desamor, ciúme, etc...
Outros lutam todos os dias com seus Conflitos internos e constituem as ameaças que surgem de dentro da pessoa em si. Caracterizado em dilemas morais ou questões de lealdade. Na maioria dos casos, esses conflitos têm a ver com valores morais básicos, sendo portanto de origem humana.
Outros em conflitos entre a carne e o espírito, onde somos testados e tentados. Existe uma luta interior em cada ser humano entre a carne e o espírito. A carne deseja coisas temporais e humanas muitas vezes destrutíveis. O espírito almeja o que é invisível e espiritual. Ter consciência desta luta interior é imprescindível para quem deseja servir a Deus. Se vivermos no espírito temos vida e paz, mas se vivermos na carne, a conseqüência é a morte (Romanos 8.5-11). Ser tentado não é pecado, pecado é ceder a tentação.
Em qualquer caso, os conflitos podem ser construtivos ou destrutivos. Um conflito construtivo ajuda uma pessoa desenvolver um forte senso crítico face à ansiedade ou às ameaças externas. Conflito destrutivo refere-se às lutas que levam à dissolução e a destruição.
Tais conflitos normalmente nos trazem feridas, que devem ser tratadas e curadas. No entanto, a maioria das pessoas não conseguem resolver os seus conflitos e como conseqüência eles vão e voltam. Isto ocorre porque existe uma raiz – nenhum problema é órfão -  então não adianta podar, cortar as folhas, é necessário detectar a origem do mal e eliminá-lo, cortando esse mal pela raiz, e lançar novas sementes boas para formar raízes de qualidade.
Como vencer os conflitos? Vamos aprender com a Bíblia o que fazer para fortalecer nosso espírito e vencer a tudo que se opõe ao nosso caminhar em Cristo.

Para eliminar o mal é necessário:
Identificar se o que fazemos ou vivemos está de acordo com a Palavra de Deus.  Partindo deste ponto de vista nos leva a projetar nossa vida num processo humano e cristão. O projeto de vida não é algo acabado que um dia se alcançou e se conseguiu para sempre. É algo que cresce, se desenvolve, que sempre se está aprimorando... É um processo que tem metas, passos, etapas, pessoas, gestos visíveis, tempos de avaliação. Não são somente “sonhos”, ideais e valores... O projeto de vida vai-se iluminando a medida que vai-se fazendo. O desejo de seguir adiante, de caminhar é fruto da Graça.
Crescer em conhecimento e Graça. Muito cristãos não conhecem o significado destas palavras. Quando o Apóstolo Pedro escreveu (Pedro 3:18): crescei em Conhecimento e na Graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, ele queria nos ensinar que devemos ter um conhecimento perfeito de Cristo Jesus e usufruirmos Sua Graça.
- Graça significa favor imerecido, e ao falar da Graça de Deus estamos falando de Sua atitude voluntária ao entregar Seu Filho amado Cristo Jesus em nosso lugar. Esse favor que Cristo fez por nós sem que o merecêssemos é a Graça de Deus. Então crescer na Graça é aproximar-se de Cristo Jesus e sua Cruz. É amar Jesus Cristo cada vez mais. É ser cada vez mais grato a Deus pelo Seu gesto de amor incondicional. 
- Crescer em conhecimento não significa ser expert em Bíblia ou de conhecimento secular, mas é crescer em conhecimento de Cristo Jesus. Para o cristão o conhecimento deve apontar para Jesus Cristo e a Cruz. Ele deve ser o tema abrangente de nossa vida. Cristo é o nosso Senhor e Salvador. Então devemos conhecer tudo o que diz respeito a nossa salvação, nosso salvador e a cruz.  
Lembre-se: para alcançarmos a vitória precisamos querê-la verdadeiramente.
- Muitas vezes temos o machado nas mãos, mas não temos forças para levantá-lo e cortar o que é necessário. Cortar na maioria das vezes dói. E sabe por que dói? Porque a raiz está fincada no mais profundo de nosso ser. Para cortar o mal pela raiz precisamos lidar com a origem do conflito, mas normalmente não é isso que fazemos, e como já falamos os conflito vai e voltam... e, muitas vezes piores. E o pior em tudo isso é que mesmo conhecendo a raiz muitas vezes não estamos dispostos a empregar um esforço para fazê-lo.
- Devemos tomar como exemplo para nossas vidas o bambu que apesar da sua simplicidade, é uma das árvores mais resistentes que existem. É tão durável quanto o concreto e a sua tração é comparada ao aço. São incontáveis as utilidades do bambu. Ele também é capaz de nos passar verdadeiras lições, as quais podemos muito bem aplicá-los em nossa vida cotidiana e nos tornarmos pessoas melhores e mais realizadas. A primeira e mais importante de todas é a humildade diante dos problemas, das dificuldades. Eu não me curvo diante do problema e da dificuldade, mas diante daquele, o único, o princípio da paz, aquele que me chama, que é o Senhor. O bambu cria raízes profundas. É muito difícil arrancar um bambu, pois o que ele tem para cima ele tem para baixo também. Você precisa aprofundar a cada dia suas raízes em Deus na oração. O bambu nos ensina é não criar galhos. Como tem a meta no alto e vive em moita, comunidade, o bambu não se permite criar galhos. Nós perdemos muito tempo na vida tentando proteger nossos galhos, coisas insignificantes que damos um valor inestimável. Para ganhar, é preciso perder tudo aquilo que nos impede de subirmos suavemente. O bambu é cheio de "nós" (e não de eu’s). Como ele é oco, sabe que se crescesse sem nós seria muito fraco. Os nós são os problemas e as dificuldades que superamos. Os nós são as pessoas que nos ajudam, aqueles que estão próximos e acabam sendo força nos momentos difíceis. Não devemos pedir a Deus que nos afaste dos problemas e dos sofrimentos. Eles são nossos melhores professores, se soubermos aprender com eles. O bambu é oco, vazio de si mesmo. Enquanto não nos esvaziarmos de tudo aquilo que nos preenche, que rouba nosso tempo, que tira nossa paz, não seremos felizes. Ser oco significa estar pronto para ser cheio do Espírito Santo. Por fim, o bambu nos dá é que ele só cresce para o alto. Ele busca as coisas do Alto.
- A força do Encardido não está nele mesmo e sim na sua astúcia em fazer que obedeçamos a sua voz (lembre-se de Adão e Eva). Foi através de Adão e Eva que a principal raiz do mal entrou na vida do homem. Observe que se o encardido pudesse acabar com você, ele já teria feito! Por que ele ainda não fez? Porque dentro de você ainda existe um pouco de fé e de Obediência a Deus. A lua do encardido é para que você perca toda a fé e passe a obedecê-lo 100%. Ai sim, ele poderá tirar a sai vida.
- Maus hábitos são como batata podre. Num saco de batatas boas uma única batata podre é suficiente para que todas apodreçam, é só uma questão de tempo, e o mal leva tudo a perder.
- A origem do pecado esta nos desejos que nascem em nossa mente. Se deixarmos, esses pecados formarão raízes profundas e voltar atrás se torna muito difícil.
- Os grandes males aparecem sempre depois de pequenos e muitos males. Os assassinos não se tornaram assassinos de uma hora para outra, com toda certeza tudo começou com pequenas coisas.
- Quando alguém come alguma coisa que lhe faz mal ele deixa de comer aquilo que lhe fez mal. Em nossa vida não deve ser diferente, se sabemos que algo nos faz mal, então devemos descartar, isto é, não deve permanecer em contato conosco.
Mediante tudo o que foi dito, cortar o mal pela raiz é arrancar pensamentos, atitudes, sentimentos, etc, que não presta.
Tendo em nossa lembrança que em hipótese alguma Deus abandonará aquele que confia n’Ele. Não existe luta por maior que seja que o cristão não possa vencê-la. O senhor conhece as situações difíceis de cada um. Ele é poderoso para ajudar cada um resolver os conflitos e conceder a direção certa a ser tomada.
Então se decida: desobedeça ao encardido e obedeça a Deus. Toda vez que você disser não ao encardido e sim a Deus enfraquecemos todas as raízes más em sua vida.
Nascemos para Deus e fomos capacitados a lutar contra o pecado, nossa fé nos sustenta para lutarmos contra as tendências do pecado em nós.

Amém.    
Pregação realizada na
Igreja Fonte de Água Viva
                                                                             Laranjeiras do Sul, 19/04/2003. 

terça-feira, 3 de maio de 2016

A IGREJA DE LAODICÉIA

TEXTO BASE: APOCALIPSE 3:14-16

Boa Noite Povo de Deus! Paz seja convosco.
O apostolo João estava prisioneiro na Ilha de Patmos por causa da Palavra de Deus e pelo testemunho de Cristo Jesus. Ele foi arrebatado no espírito e na visão viu o próprio Cristo. Não aquele que morreu na cruz do calvário feito homem, mas aquele que ressuscitou e está assentado a direita de Deus Pai e que vive eternamente.
Entre outras revelações foi ordenado que ele escrevesse as sete igrejas que estavam na Ásia Menor: Efeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodicéia. Destas sete igrejas cinco foram censuradas e apenas duas não foram censuradas – Esmirna e Filadélfia. Seis delas receberam elogios de Cristo e apenas a Igreja de Laodiceia não foi lelogiada. É sobre esta igreja que iremos falar nesta noite.
Laodicéia era uma cidade situada no vale do Rio Lico, uma das mais férteis regiões da Ásia Menor a atual Turquia, entre as cidades de Colossos e Ierápolis (cerca de nove quilômetros de cada uma). Era uma cidade rica, próspera, muito conhecida na Ásia menor e no resto do mundo por ser um centro financeiro e possuir muitas fábricas têxtil e sediar o centro oftalmológico mais avançado da época. Embora se localizasse entre colossos e Ierapólis duas cidades conhecidas por suas fontes medicinais de água (Colossos rica em fontes de águas frias e Ierapólis  rica em fontes de águas quentes por causa de uma tocha chamada castelo de Algodão), Laodicéia não possuía água boa para o consumo. Suas águas vinhas das montanhas através de tubulações que ao chegar na cidade eram mornas, de mau cheiro impróprias para o consumo que causavam náuseas.    
A igreja de Laodiceia representa a Igreja moderna (1.900 até a volta de Cristo) e ao falar as Igrejas Cristo o faz segundo três temas: um diagnóstico, um apelo, uma promessa.
A igreja de Laodicéia foi a mais censurada por Cristo Jesus e não recebendo nenhum elogio. Ao olharmos para essa Igreja vamos ver que nela não houve desvio da Palavra de Deus, era a mais Orodoxa entre as sete. Nenhuma falsa doutrina foi a ela introduzida. Não se conhece nenhum escândalo, pecado ou abominação entre os seus membros. Não sofria nenhum tipo de perseguição interna ou externa. Para os seus membros e a sociedade local era uma igreja perfeita.
Então o que levou essa Igreja a ser a mais censurada por Cristo Jesus?
Em seu diagnostico Cristo comparou a Igreja de Laodicéia com as águas da região, e, com isso Ele quer dizer que embora Laodicéia não apresentasse nenhum desvio da Palavra, nenhum escândalo, faltava a ela o mais importante: o fervor espiritual. Laodicéia se declarava cristã, mas não houve mudança em seus corações.
Isso não é diferente nos dias atuais, muitas pessoas vêem para a Igreja, aceitam a Jesus mas continuam sendo as mesmas pessoas de antes, não houve mudança em seus corações.
Era uma igreja muito rica, não precisava de nada, tinha tudo o que queria, era bem vista pela comunidade, enfim todos queriam pertencer a esta Igreja. No entanto Cristo a classificou como pobre e miserável porque embora fossem cristãos nominais não pertenciam a Cristo que veio para resgatar aqueles que n’Ele creem.
Se Cristo não for o nosso Senhor e Salvador, então tudo está perdido e com certeza nos tornamos crentes mornos a ponto d’Ele nos vomitar de sua boca.
Eu observo que Cristo pegou pesado com os crentes de Laodicéia e creio que nesta noite Ele também pega pesado com alguns de nós! Sabe porque? Ele diz: Eu não desisto de você! Eu não vim a esta terra para sofrer, morrer de morte na cruz e entregar você de bandeja para Satanás. Eu vim para que você seja um vencedor, Tenha Plenitude do Espírito Santo, tenha poder.
Cristo faz um apelo. Ele pede para os de Laodicéia que comprem d’Ele ouro provado no fogo para que sejam verdadeiramente ricos e possam vestir vestes brancas para que não apareca a sua nudez. Pois essa Igreja era auto justificada e não tinha a justiça de Cristo estando nua diante do julgamento de Deus, e todo o seu dinheiro não podia comprar o Sangue precioso derramado por Cristo lá na Cruz do Calvário.
Como essa igreja não precisava de nada e tinha tudo o que queria, pregava o que queria, cantava o que queria,  procurava o fervor espiritual em outros lugares, na posição social, em suas riquezas,  em seus cargos. Enfim era uma igreja apaixonada por si mesmo. Ela por si só se bastava. Esquecendo-se que só poderemos encontrar fervor espiritual aos pés de Cristo.
Cristo vai além e manda que eles unjam seus olhos para que vejam, pois estavam espiritualmente cegos. É necessário que nossos olhos se abram, se nossos olhos se abrirem o coração se aquece, os pés se apressam, os lábios se abrem para dizer que Jesus Cristo está vivo, que Ele é o Senhor e Salvador de nossas vidas.
Cristo faz uma promessa. Enquanto lá dentro a Igreja estava em festa, Cristo do lado de fora diz: Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo (Ap. 3:20).
Se alguém ouvir a voz de Cristo e abrir a porta, este se tornará um vencedor, e ao vencedor será dado um premio: Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. (Ap 3:21-22).
Para terminar quero dizer que essa região onde existiu as sete igrejas do Apocalipse e tantas outras, hoje não existe ali nem 1% (um por cento) da população que seja cristã. A Europa que foi o berço do protestantismo hoje vive com a maioria de seus templos vazios. Sabe por que isto acontece? Por que não ouviram e deram atenção ao que o Espírito Santo disse as igrejas.
Amém.        


Pregação realizada na
17ª Igreja do Evangelho Quadrangular
Cascavel 24/04/2016