Seja Bem Vindo!!!

Paz seja Convosco!!!

Depois de quase quatro anos sem nenhuma postagem (Precisamente 3 anos 9 meses e 18 dias), volto a ativa e Louvo a Deus por isso. Foi um período de tribulações, perdas materiais e muito planger. Porém, foi também um período de bençãos, quando ganhei mais três netos (um menino e duas meninas). É no deserto que podemos ter certeza que Deus jamais nos abandona (se fosse o contrário pereceríamos).

Um grande abraço!!!

Pastor Gilberto Pratas


O único caminho

O único caminho

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Pastor Gilberto Pratas: Tudo é Vaidade!!!

TEXTO BASE: ECLESIASTES

O assunto que trataremos hoje é pouco estudado e pregado nos púlpitos evangélicos: Estaremos falando sobre vaidade.

Vaidade significa “tudo àquilo que é vazio”, “inconsistente” e “fugaz” como um sopro, como a névoa ou uma rajada de vento. Pode ainda ser usado para destacar o caráter frágil e transitório do ser humano nesta terra.

O livro de Eclesiastes registra a busca de Salomão em diferentes áreas por significado e propósito na vida. Ele foi feliz em sua narrativa quando disse que a vida é apenas um sopro, vazio, e sem sentido, no qual existe apenas vaidade.

Essa vaidade citada por ele é o agente motivador do homem natural em viver. A humanidade tem o desejo de ver sua vaidade suprida. Ela procura nas mais diferentes áreas da vida uma fuga para realizar os seus anseios (suas vaidades) buscando preencher o vazio existencial, buscado preencher a falta de sentido que é a vida.

Nesta busca incessante o homem não aceita o fracasso e não deve aceitá-lo mesmo, mas quando ele aparece em sua frente por qualquer motivo gera um sentimento de impotência e fragilidade, como se fôssemos inferiores aos nossos competidores, esquecendo-se que esse sentimento fruto de uma competição ilusória não passa de vaidade.

A cada dia que passa ele precisa provar cada vez mais sua capacidade, pois a seleção natural existe em toda natureza, mas se olharmos bem, nisto tudo não existe sentido algum. Realmente, o homem se esforça para mostrar a si mesmo e aos outros a sua volta de que é capaz e superior aos seus semelhantes. Mas, tudo isso é vaidade, queremos mostrar o que na verdade não precisa ser mostrado.

A vida do ser humano é assim: parece impressionante, mas quando você começa a analisá-la observa que nada é durável, mas na verdade um grande vazio. É como tentar pegar a neblina. Quando você tenta agarrá-la percebe que não apanhou nada, tudo fugiu por entre os dedos.

Salomão apesar de rei, rico, famoso e sábio achava a vida vazia e sem significado. Assim como Salomão o homem será um eterno frustrado se procurar ganhar algo na vida que não está nela. Quando o homem reconhece que a vida é vazia, então será liberto para buscar seu verdadeiro significado fora desta existência temporal. Isto no leva a refletir de que a vida tem dois sentidos: Vida Material e Vida Espiritual, e que cada ser humano tem uma missão a ser cumprida nesta terra. É obrigação do ser humano compreender os sinais de Deus. Nós somos corpo físico, alma e Espírito e nossa matéria depende do Espírito para sobreviver.

Deus através de sua Palavra escrita no livro de Eclesiastes quer nos ensinar três pensamentos básicos para uma vida de real significado: a) A busca por valor real na vida; b) Razões para as frustrações na vida; c) A única satisfação que há para o homem.

a) A busca por valor real na vida:

Deus através de Salomão nos fala das experiências do ponto de vista material e apresenta suas conclusões: Tudo é vaidade. Deus quer advertir o homem e mostrar-lhe a pobreza da vida humana “debaixo do sol”. Ele quer nos advertir que a vida quando inspirada por conceitos e praticas humana é somente vaidade. O homem torna-se irracional buscando sua realização pessoal somente no material, sem importar-se com o espiritual. E quando restringimos nosso olhar somente para aquilo que se passa debaixo do sol (material) tudo fica sem esperança, desolador.

Deus quer nos mostrar que é impossível o homem transformar o homem. (Aquilo que é torto não se pode endireitar). Isto nos mostra que ninguém concerta alguém, que todos dependemos do Precioso Sangue de Jesus para voltarmos ao que eramos antes do pecado (Deus fez o homem a sua semelhança – sem pecados).

Salomão foi um dos homens mais ricos e sábios da face da terra, no entanto ele chegou a conclusão que tudo era enfado, que todo trabalho não trazia resultado permanente. Ele disse: todas as obras que fizeram as minhas mãos, como também o trabalho que eu, com fadigas, havia feito; e eis que tudo era vaidade e correr atrás do vento, e nenhum proveito havia debaixo do sol (Eclesiastes 2:11). Não havia satisfação em nenhuma destas buscas. Jesus confirmou estas palavras quando disse: “Que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma” (Mateus 16:26).

Na verdade o homem da importância apenas aos vícios que causam estragos externos, esquecendo-se que o maior estrago é o causado na alma.

O amor verdadeiro não se consegue exprimir por palavras, pois palavras não são suficientes para expressá-lo, são necessários atos. Esse é o amor incondicional de Cristo Jesus que como ovelha levado ao matadouro entregou sua vida para que tivéssemos vida e vida com abundância.

Quando nos mantemos à esquerda de Deus, sem nos submeter à Sua vontade, somos apenas vaidade, porém quando aceito a sua direção para a minha vida torno-me importante no seu Reino e isso é o que dá significado divino à nossa vida.

b) Razões para as frustrações na vida.

Há muitas razões pelas quais a vida é insatisfatória, vazia, sem sentido, mesmo quando nos tornamos bem sucedidos. Entre as tantas razões podemos citar: a) O fato de não podermos mudar nada. A palavra de Deus diz que há um tempo para tudo embaixo do sol. Na maior parte das coisas que acontece não se tem nenhum domínio e muitas vezes indefesos esperamos pelo desenrolar dos acontecimentos. b) O fato de não podermos prever o futuro. Os homens vivem cheios de perguntas sem respostas, ninguém há que possa prever o futuro. c) o fato de todos terem o mesmo destino. Todos nascem, morrem. A morte física é o final comum de todos os homens. d) O acaso da vida. O sucesso não está sob o nosso comando. Nem sempre o melhor vence e a vitória na maioria das vezes se torna uma questão de sorte. e) O fato de nada ser permanente. Nesta terra nada é permanente. Depois de fechados os olhos matérias cairemos no esquecimento. f) Nenhuma realização. Neste mundo realmente nada acontece na vida. Há uma infindável e cansativa sucessão de acontecimentos. g) O fato de não existir nenhuma satisfação. As pessoas sempre querem mais do que conseguiram. As coisas desta vida nunca satisfazem. Nosso vazio sempre fica mais e mais profundo. h) Injustiça. A vida não é justa. Geralmente é preciso menos esforço para criar um problema do que para resolvê-lo.

c) A única satisfação que há para o homem.

Quando olhamos para os motivos ou razões de frustrações da vida constatamos um mundo onde tudo é vaidade enquanto peregrinos. É verdade que tudo passa e que a felicidade tanto almejada também é passageira. O homem que se deixar levar pelas paixões deste mundo será um eterno frustrado, porque o que realmente permanece e traz a felicidade para o homem é o que vem de Deus. Por isso nós devemos apenas estar atento para saber ler os sinais dos tempos e a vontade de Deus.

O que Jesus quer nos ensinar é que buscar a felicidade e a segurança nas coisas materiais e mesmo nas pessoas, não deve ser o objetivo da nossa existência, porque elas não podem dar uma satisfação final e segura. Mesmo quem coloca a sua felicidade nas pessoas, pode ficar profundamente decepcionado. Ele quer nos ensinar que o verdadeiro sentido da vida não está na fartura de bens, que a importância do ser humano não depende das riquezas e que a esperança do coração humano não repousa numa conta bancária. A vida do ser humano não é num festival de ilusões que se desfazem ao primeiro sopro. Partiremos assim como viemos de mãos vazias e sozinhos. Tudo o que o mundo oferece não é suficiente. Torna-se um vazio em nossa alma.

Este vazio que existe em nossa alma somente Deus pode ocupar, e nunca teremos paz até que permitamos que ele o preencha. A vida só deixará de ser vazia quando fizermos de Deus a nossa Vida. Somos filhos de Deus, e como filhos somos co-herdeiros com Cristo. E ele é perfeitamente de preencher em nós esse vazio que tanto atormenta a nossa vida matéria.

Lembre-se que o Nosso Deus é infalível, causa primaria de todas as coisas, é o ponto de partida de tudo. Ele não teve começo e nem terá fim, portanto não foi gerado, ninguém o governa, é inominável, sem forma humana, pois tem aparência de si mesmo. É infinito, imperecível, sem falha, inabalável, Insondável, Perfeito, Imaterial, Sagrado de Soberana inteligência, e bondade imutável, Único e Verdadeiro, denominado Senhor dos Senhores.

Deus é o criador de tudo o que limita a matéria, o corpo físico, lembre-se que fomos criados para nascer, morrer e sermos julgados pelo nosso criador. Ele nos dotou de uma consciência capaz de fazer uma boa escolha. Isto nos leva a escolher uma vida cheia de graça e dignidade. É verdade que não se pode fugir ao que acontece ”debaixo do sol” mas pode-se escolher o que acontece “acima do sol”.

Aquele que escolheu Deus seu Criador verá cumprir tudo o que está previsto: O pó volte a terra como era a vida material e o espírito volte a Deus. Verá ainda que a vida não teve fim, mas está apenas começando, pois viverá eternamente com Deus. Deixará uma vida sem perspectiva de alegria permanente para uma vida eterra com o seu Criador.

Amém.

2 comentários:

  1. Graça e paz!
    Passei por aqui pra conhecer seu blog, achei muito bom, muito edificante e já sou seguidor, se vc quiser visite tbm meu blog, e se gostar seja um seguidor e deixe seu comentário, vamos juntos anunciar Jesus Cristo nessa nação chamada Brasil. http://prvaldomelo.blogspot.com/

    Pr. Valdo Melo

    ResponderExcluir
  2. Graça e paz.
    Na verdade tudo passa. mas aquele que faz a vontade de Deus, PERMANECE PARA SEMPRE.

    ResponderExcluir