Seja Bem Vindo!!!

Paz seja Convosco!!!

Depois de quase quatro anos sem nenhuma postagem (Precisamente 3 anos 9 meses e 18 dias), volto a ativa e Louvo a Deus por isso. Foi um período de tribulações, perdas materiais e muito planger. Porém, foi também um período de bençãos, quando ganhei mais três netos (um menino e duas meninas). É no deserto que podemos ter certeza que Deus jamais nos abandona (se fosse o contrário pereceríamos).

Um grande abraço!!!

Pastor Gilberto Pratas


O único caminho

O único caminho

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Pastor Gilberto Pratas: Está em nossas mãos!


TEXTO BASE: ROMANOS 11:25

“Não quero irmãos que ignoreis este segredo: que o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado”.

Caros irmãos, mais um ano está chegando ao fim. Como é de costume, olhamos para trás e para frente. Gostaríamos de saber o que o futuro nos reserva. Sabemos que muitas coisas podem mudar em nossas vidas e a nossa volta. O importante neste momento não é nos preocuparmos e sim colocar nossas esperanças em Deus a cerca do nosso futuro. Pois este é o desejo de Deus.

Perguntai-me as cousas futuras, demandai-me a cerca de meus filhos; e acerca das obras de minhas mãos. Isaias 45:11

Devemos lembrar que Deus é quem dirige a história e cuida de seus filhos. Olhar para trás é importante para que não esqueçamos o bem que Deus nos fez. É comum esquecermos rapidamente de todas as coisas boas que Ele tem nos proporcionado. Ao olharmos para frente, gostaríamos de saber quando Cristo irá voltar, mas Ele mesmo nos falou a respeito “Estais de sobreaviso, vigiai e orai, porque não sabeis quando será o tempo” (Marcos 13:33).

A Palavra nos diz que isso acontecerá com a plenitude dos gentios, isto é, com a conclusão dos propósitos de Deus ao chamar para Si um povo dentre os gentios (Atos 15:14). Um período em que a iniqüidade dos gentios se completar, quando o pecado no mundo chegar ao nivel pleno de rebeldia contra Deus. Somente nessa ocasião é que Cristo voltará para julgar o mundo.

Sabemos que o plano de Deus é tirar de entre todas as nações um povo para si, para o Seu nome. Esse corpo de Cristo será constituído daqueles que largaram o presente sistema mundano e se colocaram na qualidade de noiva de Cristo.

Em primeiro lugar, Cristo nos ensina e fala para vigiar. Devemos ser vigilantes, prestando atenção aos sinais dos tempos, levando a todas as pessoas em nossa volta uma mensagem de esperança e fé. Jamais nos esquecermos de nossa obrigação que é mostrar ao mundo e as pessoas que sem um arrependimento verdadeiro e um afastamento de nossos pecados, com o firme propósito de não mais cometê-los, não poderemos gozar da Comunhão com nosso Deus, mostrando a cada pessoa a verdade sobre Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador.

Em segundo lugar devemos orar e que os motivos de nossa oração venham de encontro com os interesses do Reino de Deus. Que os motivos de nossa oração estejam relacionados com os acontecimentos ao nosso redor, na nossa igreja, na nossa família e que o Senhor possa nos mostrar os assuntos para os quais Ele quer que oremos.

Por fim, Deus quer que sejamos vigilantes e oremos para que o Senhor Jesus Cristo traga neste ano que se iniciará um reavivamento sem precedentes dentro e fora da igreja, para que muitos estejam preparados para a Sua volta.

Está em nossas mãos salvar o mundo da própria destruição. Isso só será possível com oração verdadeira, cumprindo com a nossa parte, trabalhando com dedicação na Seara grande e madura, mas com poucos ceifeiros.

Jesus falou: “Negociai até que eu volte”. Ele é o Senhor da Seara. É Ele que capacita e sustenta os obreiros que são necessários nas diferentes áreas de ação.

Glória a Deus. Aleluia.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Gratidão

O homem por detrás do balcão olhava a rua de forma distraída.

Uma garotinha se aproximou da loja e amassou o narizinho contra o vidro da vitrine. Os olhos da cor do céu, brilhavam quando viu um determinado objeto.

Entrou na loja e pediu para ver o colar de turquesa azul.
- É para minha irmã. Pode fazer um pacote bem bonito?, diz ela.

O dono da loja olhou desconfiado para a garotinha e lhe perguntou:
- Quanto de dinheiro você tem?

Sem hesitar, ela tirou do bolso da saia um lenço todo amarradinho e foi desfazendo os nós. Colocou-o sobre o balcão e feliz, disse: - Isso dá?

Eram apenas algumas moedas que ela exibia orgulhosa.
- Sabe, quero dar este presente para minha irma mais velha. Desde que morreu nossa mãe ela cuida da gente e não tem tempo para ela. É aniversário dela e tenho certeza que ficará feliz com o colar que é da cor de seus olhos.

O homem foi para o interior da loja, colocou o colar em um estojo, embrulhou com um vistoso papel vermelho e fez um laço caprichado com uma fita verde.
- Tome!, disse para a garota. Leve com cuidado.

Ela saiu feliz saltitando pela rua abaixo.

Ainda não acabara o dia quando uma linda jovem de cabelos loiros e maravilhosos olhos azuis adentrou a loja. Colocou sobre o balcão o já conhecido embrulho desfeito e indagou:
- Este colar foi comprado aqui?
- Sim senhora.
- E quanto custou?
- Ah!, falou o dono da loja. O preço de qualquer produto da minha loja é sempre um assunto confidencial entre o vendedor e o cliente.

A moça continuou:
- Mas minha irmã tinha somente algumas moedas! O colar é verdadeiro, não é? Ela não teria dinheiro para pagá-lo!

O homem tomou o estojo, refez o embrulho com extremo carinho, colocou a fita e o devolveu à jovem.

- Ela pagou o preço mais alto que qualquer pessoa pode pagar. ELA DEU TUDO O QUE TINHA.

O silêncio encheu a pequena loja e duas lágrimas rolaram pela face emocionada da jovem enquanto suas mãos tomavam o pequeno embrulho.

"Verdadeira doação é dar-se por inteiro,
sem restrições. Gratidão de quem ama não coloca
limites para os gestos de ternura.
Seja sempre grato, mas não espere pelo reconhecimento
de ninguém. Gratidão com amor não apenas aquece
quem recebe, como reconforta quem oferece."

Artigo retirado da Internet .

Pastor Gilberto Pratas: NATAL

Daqui a dois dias o mundo estará comemorando um advento festivo: o natal. Para os cristãos o natal representa a resposta de Deus a um mundo que precisa de salvação. Os homens esperam cheios de temor e de esperança. Aguardam aquele que virá libertá-los do pecado e da morte. É chegado o Natal, o mundo cristão comemora o nascimento de Cristo. Esse mesmo Cristo que poderia ter nascido em pompa, pois Ele é Rei, o Filho do Senhor dos Exércitos, Senhor e construtor de todas as coisas visíveis e invisíveis. No entanto, Ele nasceu ao invés de num palácio, em uma manjedoura, onde não existia riqueza alguma, nem pompa, um local com cheiro desagradável ao invés de ser perfumado. A cerca de dois mil anos atrás nascia aquele que os profetas anunciaram por todos os tempos:

Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o governo está sobre os seus ombros, e o seu nome será Maravilhoso, Conselheiro, Deus forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz; Para que se aumente o seu governo, e venha paz sem fim sobre o trono de Davi e sobre o seu Reino, para o estabelecer e o firmar mediante o juízo e a justiça, desde agora e para sempre. O zelo do Senhor dos exércitos fará isto. Isaias 9:6-7.

Através destas palavras podemos verificar que o Reino de Cristo será um reino de justiça e equidade e eterno. No entanto podemos constatar que esse reino tão desejado por todos nós ainda não chegou. Porém o próprio Cristo nos falou que ele se encontra dentro dos “crentes” e por isso se faz necessário que a paz de Cristo habite em nós, que seu Espírito e seus mandamentos nos governe. Cristo veio para conquistar nossos corações e felizes seremos quando somos d’Ele por inteiro.

Por isso o natal deve ser uma festa de esperança, uma esperança nas últimas palavras escritas na Bíblia: “Amém. Vem, Senhor Jesus”.

Essa esperança deve ser posta firmemente n’Aquele que recebeu o cetro de poder e foi arrebatado para junto de Deus e de seu trono. Uma esperança que não é privilégio nosso apenas. Muitas pessoas tiveram esta mesma esperança desde os mais remotos tempos e hoje nós temos a certeza que isso irá se concretizar num futuro bem próximo. Essa esperança que é uma conseqüência das promessas de Deus para todos os que acreditarem nas suas palavras. Uma esperança que começou para os humanos com Adão e Eva com a promessa de que o seu descendente pisaria a cabeça da serpente (Gênesis 3:15); chegou a Enoque, o homem que andava com Deus e viu a vinda do Senhor e exclamou: Eis que veio o Senhor com milhares de Anjos (Judas 1:14); chegou a Abrão que viu a distância o dia do Senhor e se alegrou (João 8:56); chegou a Jacó que disse: A tua salvação espero, Ó Senhor. (Gênesis 49:18); e tantos outros como Moisés, Jeremias, Isaias, Zacarias, Miquéias, etc. Todos eles não tiveram a concretização dessa esperança em seus dias, porque o tempo ainda não era cumprido.

Mas, veio o natal, uma resposta de Deus a temerosa espera e ao clamor da criação. Uma data que deve ser para nós a festa na qual olhamos para frente, para o estabelecimento do Reino Eterno de Deus, pois este será o acontecimento marcante de toda a historia da humanidade.

Vindo porém a plenitude do tempo, Deus enviou o seu filho,
nascido de mulher, nascido sob a lei (Gálatas 4:4).

Muitos de nós não sabemos o verdadeiro significado desta data. Muitos de nós por causa de nosso sentimentalismo não enxergamos a verdade sobre Cristo. Para que possamos crer em Cristo Jesus, Deus colocou de lado todas as coisas visíveis e que não edificam. Devemos lembrar que Cristo veio para os seus que não O receberam.

Ele tornou-se homem e semelhante a nós viveu entre nós. Poderia ter implantado seu reino a força, mas foi fiel a Sua Palavra: nem por força, nem por violência, e sim pela Palavra de Deus. Ao olharmos para sua vinda podemos meditar em seis tópicos importantes descrito nas Escrituras e que muitas vezes não são percebidos pelas pessoas. (lembre-se seis é o número do homem).

01. Ele nasceu em Belém. Belém era uma cidade insignificante na época. A cidade que ostentava glamour religioso era Jerusalém, que ficou alarmada com esse fato. Alarmou-se o rei Herodes e toda Jerusalém (Mateus 2:3). Isto aconteceu para mostrar ao mundo que o homem não é nada e de nada vale os bens materiais (Miquéias 5:2).
02. Ele veio durante a noite (I João 1:7). Isto para mostrar que o povo daquela época se encontrava em grande escuridão espiritual.
03. Ele veio na maior pobreza (II Corintios 8:9). Isso representa que o povo não tinha nenhuma ligação vital com Deus. Deus mandou seu filho na maior pobreza para mostrar a nossa pobreza. Pois, se não temos ligação vital com Deus, então somos muito pobres, apesar de toda pompa exterior. Lembre-se ele nasceu em uma manjedoura.
04. Ele veio em fraqueza. Se fez fraco, um bebê indefeso, recém nascido, dependente, frágil. Ele tornou-se assim para mostrar a você e a mim que somos fracos, desamparados, frágeis em nossa vida de pecado e que estamos entregues a tirania do inimigo (II corintios 12:10).
05. Ele veio numa estrebaria. Será que entendemos isso? Ele teve de tornar-se semelhante a nós em tudo, até mesmo no que se refere ao estábulo. Isto indica a estrebaria de nosso coração. Nosso coração é cheio de imundices e impurezas. Ele veio num estábulo é verdade, mas o estábulo não estava dentro dele, era apenas exterior, pois as escrituras afirmam que foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado (Hebreus 4:15B).
06. Ele veio para morrer. O nível mais baixo de sua humilhação, mas também a estação final para os pecados da humanidade.

Se alguém me serve, siga-me, e, onde eu estou ali
estará também o meu servo. E, se alguém me
servir, o Pai o honrará (João 12:26).

Ele nos convida a ir com Ele nestes seis níveis de sua renuncia: Belém, noite, pobreza, fraqueza, estrebaria e morte. Ele nos convida para que possamos viver eternamente com Ele.

Neste mês de Dezembro quando se vê o brilho das luzes em todos os lugares os corações de tantas pessoas continuam na mais completa escuridão. Muitos presentes são distribuídos, mas as pessoas continuam intimamente pobres miseráveis. Muitos procuram aconchego, mas continuam solitários. Muitos desejam uma pureza, mas permanecem impuros.

Neste natal vamos olhar para o nosso interior e verificar como esta o nosso coração, na esperança de que Cristo venha cada ano renascer dentro de nós que cremos e que somos chamados de Cristãos. E, ao olharmos para nosso interior é necessário que possamos senti-lo e constatar se ele é um lugar arejado, limpo e pronto para receber a Cristo, que todos os dias deve renascer dentro de nós, ou é tal como a manjedoura: sujo, cheirando mal, na escuridão. Lembrem-se as Escrituras afirmam que:

Deus é luz e não há nele trevas nenhuma. Se dissermos que temos comunhão com Ele e andamos em trevas, mentimos e não praticamos a verdade, mas se andarmos na luz, como Ele na luz esta, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Cristo nos purifica de todo Pecado. Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça. Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós (I João 1:5-10).

É impossível o homem não pecar, mas o homem deve fazer o possível para fugir de qualquer tipo de pecado, e quando pecar podemos contar com o nosso Advogado junto ao Pai: Cristo o justo. Pois o seu sangue foi a propriciação pelos nossos pecados.

O natal deve ser para nós uma certeza de que Cristo pode renascer todos os dias em nossos corações e a esperança de sua volta para a batalha final cuja arma a ser usada nesta guerra será a justiça. Será uma guerra justa com armas diferentes das conhecidas pelo ser humano: A espada de sua Palavra, verdadeira e justa, que sairá de Sua boca. Esta será a arma mais destruidora, que desmanchara todo o mal. Essa arma já nos foi confiada.

Porque eu vos darei boca e sabedoria
a que não poderão resistir, nem contradizer
todos quantos se vos opuserem (Lucas 21:15).

Verdade e justiça são as armas que ele nos confiou. Hoje vemos os mandamentos de Deus torcidos, invertidos, invalidados fazendo com que a injustiça domine cada vez mais. Mas, devemos lembrar que aos filhos estão predestinados a governar com Ele e a terem parte em seu Justo Reinado:

Ao vencedor, e ao que guardar até o fim as minhas obras, eu lhe darei autoridade sobre as nações, e com cetro de ferro as regerá e as reduzirá a pedaços como se fossem objetos de barro (Apocalipse 2:26-27).

Por tudo isso é importante que a nossa milícia seja praticada com as armas de luz, para podermos receber a misericórdia de Deus para nos salvar. Porém, se você seguiu na direção oposta, volte, entregue sua vida a Ele. Somente assim terás um natal verdadeiro, um natal que não acabará e que você comemorara todos os dias de sua vida.

Amém.

Pastor Gilberto Pratas: Fábula sobre a Hipocrisia

Há uma fábula grega que nos ajuda a entender a hipocrisia. Na fábula há duas personagens que conversam: o Gafanhoto estressado e a Aranha bem-intencionada.

O Gafanhoto tenta convencer a Aranha de que um colega de trabalho dos dois, o Camaleão, é um hipócrita de carteirinha.

- Esse Camaleão é um fingido, Aranha. Sempre mudando de cor conforme a ocasião.
- Mas essa não seria só a natureza dele, Gafanhoto? Ele não foi criado desse jeito?
- Nada! Antigamente, ele fazia o mesmo que nós, dava duro para ganhar a vida. Depois, virou esse artista em tempo integral, sempre escondido atrás de disfarces e artimanhas.
- Mas por que ele faria isso?
- Para tirar proveito da situação. Ele fica ali, na moita, com aquela cara inofensiva, mas, na primeira oportunidade, abocanha os descuidados.
- Puxa, é verdade. Eu que passo horas tecendo a minha teia, no maior capricho…
- E eu, que fico pulando de um lado para outro sem parar? É por isso que vivo estressado. Se me distraio, o Camaleão solta a língua e me pega.
- É mesmo. Se você não me abre os oito olhos, eu nunca teria pensado nisso.
- Por que você é singela e bem-intencionada. Sabe como chama o que o Camaleão está fazendo? Competição desleal no local de trabalho!
- Faz sentido. Você é um sábio, Gafanhoto.
- Obrigado, Aranha. Mas o ponto é que não podemos, nunca, confiar no Camaleão.
- Será que não haveria um jeito de neutralizá-lo?
- Bom, para nosso benefício mútuo, eu acho que tenho um plano infalível.
- Tem? – Perguntou o gafanhoto.
- Tenho. Escute.

Cena dois: o Gafanhoto se aproxima para escutar o plano da aranha. E se enrosca na teia. Imediatamente, ela o pica e começa a embrulhá-lo para o almoço.

- O que você está fazendo, Aranha? Nós não somos colegas e parceiros?
- Não leve a mal, meu caro Gafanhoto, mas essa é a lei aqui da selva: boa intenção é uma coisa e prioridade pessoal é outra…

O mundo é dos hipócritas! Essa fábula faz-me lembrar dos hipócritas. Eles estão por todas as partes do globo. Nesse momento eles podem estar “devorando gafanhotos”; dirigindo veículos; fazendo comícios; escrevendo livros; administrando empresas.

Pastor Gilberto Pratas: Hipócritas!!! Onde Estão???


A palavra Hipócrita deriva do latim "hypocrisis" e do grego "hupokrisis" ambos significando representar ou fingir. Na antiga Grécia e Roma tais palavras eram utilizadas para designar atores. Porém, veio a ser utilizada mundialmente depois que Jesus Cristo a usou diversas vezes para definir falsos religiosos de sua época. Eram pessoas que fingiam ser o que não eram. Hoje, nossos dicionários definem a hipocrisia como sendo o ato de fingir ter crenças, virtudes e sentimentos que a pessoa na verdade não possui.

Jesus acusava os fariseus de serem hipócritas (Mateus 6:2,5,16) por fazerem orações públicas longas, jejuar de uma forma que chamava muita atenção de outras pessoas a si mesmos e por demonstrar de uma forma extravagante suas doações ao Templo e aos pobres, eles mostraram apenas uma ligação superficial ao Senhor. Na verdade eles executavam muito bem seu papel dramático como exemplos públicos de virtude religiosa, porém falharam no seu coração onde a virtude realmente reside.

Mas a hipocrisia não se resume apenas aos fariseus. A hipocrisia esta alastrada em todos os segmentos da sociedade. Os hipócritas estão presentes em todos os setores da vida humana. Eles sempre existiram e com toda certeza existirão até o fim dos tempos. Os hipócritas são na verdade lobos vestidos de carneiros e estão escondidos nos mais requintados disfarces. Por trás de uma palavra amiga pode estar escondido o egoísmo de um hipócrita. Muitas pessoas não estão preocupadas em ser felizes, mas como os outros acham que devem ser felizes, é por isso que vemos pessoas desfilando em veículos elegantes, pondo-se a vista para que outras pessoas os admirem. O orgulho destas pessoas não está em querer ser mais rico, mas sim em querer ter mais coisas do que os outros e em ser mais “bajulado”.

Embora o cristianismo seja o “telhado de vidro” quando o assunto é atirar pedras, a hipocrisia esta em todos os lugares! Ela pode estar escondida na figura do pai e da mãe que adora cuidar da vida dos filhos dos outros, e quando menos esperam são avós. Ela pode estar escondida naquele que adora fazer piadas, mas não admite uma sequer consigo próprio. O que não falar daqueles que proíbem o namoro de um filho, mas mantém uma amante fora do lar. Este poucos exemplos são alguns dos inúmeros que podemos citar e chegar a uma conclusão de que todos nós temos os “pés de barro”. Os hipócritas se escondem nos locais de trabalho com falsas aparências visando ganhar confiança para subir de cargo, aumentar salário ou ganhar simpatia. Quando questionados sobre o serviço de um colega, sempre da um jeitinho de elogiar colocando uma vírgula, com fortes insinuações de que poderia ser feito melhor. Os hipócritas estão ao nosso lado todos os dias.

No nosso meio (o evangélico) há muitas coisas que nos fazem ser hipócrita, podemos citar: o dízimo dado por obrigação; defender doutrinas com unhas e dentes e na pratica fazer completamente diferente; Mostrar espiritualidade quando na pratica é um fofoqueiro de plantão, pois consegue descrever roupas, penteados das pessoas que estavam na igreja; Quando dizemos amar alguém quando temos por estas pessoas mera afeição; Quando fazemos algo sabendo que nossa atitude nos levara a atingir algum alvo de nosso interesse. Em suma todo hipócrita finge comportamentos corretos, virtuosos, socialmente aceitos.

O homem cristão vive uma luta contra si mesmo (se é realmente convertido). Mas, na maioria das vezes sentamos sobre nossas falhas para apontar os defeitos dos outros. Isto é, apontamos com nosso dedo sujo os defeitos dos outros. É verdade que todos somos suscetíveis ao erro, à inquisição, mas devemos tomar cuidado para não cuidar daquilo que não nos cabe. Precisamos sempre ter cuidado para não cairmos na mesma tentação (1 Coríntios 10:12).

Os hipócritas também evoluíram. Antes eram chamados de hipócritas aqueles que embora soubessem das necessidades de seus semelhantes, nada faziam, pois para eles era normal a existência de pessoas necessitadas. Hoje os hipócritas se escondem como falsos altruístas. Pessoas que fazem de tudo para chamar a atenção, com um único objetivo: Ser visto na mídia e pela sociedade. Outros dizem odiar a hipocrisia, dizendo odiar a corrupção, os roubos, a fome, que devemos proteger a natureza, entre outras coisas, e no entanto não levantam um dedo sequer para que essa situação seja resolvida.

A hipocrisia está estampada diariamente na mídia. Políticos respeitados estão envolvidos com negociações obscuras; Esportistas são detidos por posse de drogas; Líderes religiosos confessam ter relações sexuais fora do casamento. É comum em nossos dias líderes caírem em pecados horríveis, Escândalos financeiros e sexuais, etc. Esse papel realizado pela mídia a revelam ser em muitos casos hipócritas pois fazem grandes reportagens quando se trata de cristão e muitas vezes pequenos comentários quando se trata de pessoas ligadas a seus interesses financeiros.

Os verdadeiros cristãos demonstrarão o fruto do Espírito (Gálatas 5:22-23). Porém, muitos que professam tal fé vão ficar surpresos ao escutar Jesus dizer um dia: “nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade” (Mateus 7:23). Nenhum Cristão é perfeito, portanto, cometer um erro ou não conseguir atingir perfeição nessa vida não é a mesma coisa que ser um hipócrita.

Todos nós temos uma tendência para a hipocrisia. Nós não sabemos o quanto somos maus até que tenhamos tentado de toda maneira sermos bons. Todos nós somos tentados, mas só conheceremos a força do exercito inimigo se lutarmos contra ele. Da mesma forma você também conhecerá a sua força não cedendo ao inimigo. Só conhecemos a força do vento quando tentamos caminhar contra ele, jamais o conheceremos se estivermos deitando ao chão ou em abrigos. Por isso, muitas pessoas não sabem o quanto são maldosas porque nunca lutam contra o mal, estão sempre cedendo a toda forma de maldade, sempre cedendo as tentações.

Jesus falava acerca dos incrédulos, mas as palavras de Cristo são perfeitamente estendidas a todos que permanecem atrás de mascaras de falsidade em suas condutas (os amantes dos primeiros assentos (Lucas 11:13); os atadores de fardos nos ombros dos outros (Mateus 23:4); limpadores do exterior dos copos (Mateus 23:25); serpentes e raça de víboras (Mateus 23:23); estorvo da porta do reino dos céus (Mateus 23:13); condutores de cegos (Mateus 23:24), etc. Todos estes sem nenhuma exceção são os famosos coadores de mosquitos e engolidores de camelos (hipócritas).

Para finalizar quero vos dizer: Não tenha medo da verdade, Não se intimide diante de acusações injustas. Seja autêntico, embora a sociedade a nossa volta esteja falida. Lembre-se que estamos começando uma grande mudança em nossa civilização e o mundo não esta pronto para a essa mudança necessária. Aqueles que poderiam ajudar a mudar (as redes de TV, a Internet e os meios de comunicação) nada ou pouco fazem. Eles são responsáveis por programas de ajuda social ou por programas que destroem os valores éticos da família e da sociedade organizada de maneira impiedosa e explícita. E normalmente optam pela segunda opção.

O que vemos em nossa realidade é um povo sem princípios éticos e morais sólidos. Ao mesmo tempo que dirigem embriagados, matando ou ferindo pessoas inocentes, estão também orando de mãos dadas porque um de seus familiares passa por um sofrimento. É esse o quadro que vislumbramos. Um povo sem compromisso com Deus, fugindo dos compromissos como o diabo foge da cruz. Esquecem-se de que Deus é denominado de “Rocha Eterna” e que um dia terão de prestar contas a Ele.

A sociedade (confusa) aceita comportamentos escusos em reverencia a uma nova modernidade. Tais comportamentos são forçados a serem aceitos como normais pela pressão exercida pela mídia. O defensores da sanidade são por ela acusados de retrógrados, insanos e preconceituosos. A mídia quer mostrar que existe liberdade de conduta, querem enfiar goela abaixo das pessoas padrões de uma sociedade falida, egoísta, mentirosa e hipócrita como se fossem os donos da verdade. Com isso procuram distorcer a verdade: trocam o verdadeiro pelo falso, trazem a tona mentiras como se fossem verdades, a falha na escolha de comportamento saudável como se fosse opção válida.

Não concordar com tais hipocrisias é ser preconceituoso é discriminar, e querer tirar a liberdade de poder pensar e agir da forma que bem achar. Esquecem que a liberdade envolve tanto o direito de alguém ser o que quer ser, como outra pessoa crer que aquilo que alguém é pode ser anormal ou afetado ou insano. Esquecem ainda que os direitos de uns terminam quando começam os direitos dos outros.

Errar é humano. Loucura não faz parte da natureza humana. Nossa sociedade está louca quando defende comportamentos doentios. A resposta por esse viver doente de nossa sociedade esta estampado na violência, corrupção, crimes, derrocada moral, ganância incontrolável, dependência química pela destruição das famílias, erotização de tudo, substituição do amor pelo prazer físico, religiões com ganância material, etc.

Jesus declarou que a verdade de Deus havia sido corrompida pelos hipócritas, com as doutrinas e ensinos dos homens. A verdade, tal como originalmente lhes tinha sido dada, não estava mais com eles. Aquilo que eles chamavam a verdade de Deus, já não era tal e lhes convertia em cegos e líderes de cegos. Essa advertencia é válida ainda hoje. Cristo lhes repreendeu por ser hipócritas.


domingo, 13 de dezembro de 2009

Nova Chance


Havia um homem muito rico, possuía muitos bens, uma grande fazenda, muito gado e vários empregados a seu serviço.

Tinha ele um único filho, um único herdeiro, que, ao contrario do pai, não gostava de trabalho nem de compromissos. O que ele mais gostava era de festas, estar com seus amigos e de ser bajulado por eles.

Seu pai sempre o advertia que seus amigos só estavam ao seu lado enquanto ele tivesse o que lhes oferecer, depois o abandonariam. Os insistentes conselhos do pai lhe retiniam os ouvidos e logo se ausentava sem dar o mínimo de atenção.

Um dia o velho pai, já avançado na idade, disse aos seus empregados para construírem um pequeno celeiro e dentro do celeiro ele mesmo fez uma forca, e junto a ela, uma placa com os dizeres: "Para você nunca mais desprezar as palavras de seu pai".

Mais tarde chamou o filho, o levou até o celeiro e disse:

- Meu filho, eu já estou velho e quando eu partir, você tomará conta de tudo o que e meu, e sei qual será o seu futuro.

Você vai deixar a fazenda nas mãos dos empregados e irá gastar todo dinheiro com seus amigos, irá vender os animais e os bens para se sustentar, e quando não tiver mais dinheiro, seus amigos vão se afastar de você.

E quando você não tiver mais nada, vai se arrepender amargamente de não ter me dado ouvidos.

"É por isso que eu construí esta forca, sim, ela é para você, e quero que você me prometa que se acontecer o que eu disse, você se enforcará nela". O jovem riu, achou absurdo, mas, para não contrariar o pai, prometeu e pensou que jamais isso pudesse ocorrer.

O tempo passou, o pai morreu e seu filho tomou conta de tudo, mas assim como se havia previsto, o jovem gastou tudo, vendeu os bens, perdeu os amigos e a própria dignidade.

Desesperado e aflito, começou a refletir sobre a sua vida e viu que havia sido um tolo, lembrou-se do pai e começou a chorar e dizer:

- Ah, meu pai, se eu tivesse ouvido os teus conselhos, mas agora é tarde, é tarde demais.
Pesaroso, o jovem levantou os olhos e longe avistou o pequeno celeiro, era a única coisa que lhe restava.


A passos lentos se dirigiu até lá e, entrando, viu a forca e a placa empoeirada e disse:

- Eu nunca segui as palavras do meu pai, não pude alegrá-lo quando estava vivo, mas pelo menos esta vez vou fazer a vontade dele, vou cumprir minha promessa, não me resta mais nada.

Então subiu nos degraus e colocou a corda no pescoço, e disse:

- Ah , se eu tivesse uma nova chance...

Então pulou, sentiu por um instante a corda apertar sua garganta, mas o braço da forca era oco e quebrou-se facilmente, o rapaz caiu no chão, e sobre ele caiam jóias, esmeraldas, pérolas, diamantes; a forca estava cheia de pedras preciosas, e um bilhete que dizia:


* Essa é a sua nova chance, eu te Amo muito, seu pai.



Autor desconhecido

Pastor Gilberto Pratas: Justiça de Deus


Há poucos dias atrás um amigo me perguntou: você acredita que o mundo vai acabar mesmo?
Ao que lhe respondi: Não se preocupe, pois nós passaremos sem ele!

Essa resposta que saiu de forma espontânea me levou a uma reflexão posterior. Foram momentos de reflexão e estudo da Palavra de Deus que me levou a uma certeza: Deus em sua Palavra nos garante que fará um mundo novo (II Pedro 3:10).

É verdade que Deus fará com que toda a terra venha a estremecer e os céus serão agitados, o sol se escurecerá e as estrelas perderão o seu brilho e o fogo devorará todas as velhas coisas. E isso pode ser chamado de o fim do mundo, ou ainda o início de um novo mundo.

A Bíblia nos fala muito de fogo. Mas esse fogo por ela descrito pode ser entendido como várias formas de fogo, ou seja pode ser um fogo de combustão (destruição), um fogo de purificação, ou um fogo de agente de limpeza. Qualquer que seja a modalidade de fogo, todas elas se constituem em meras especulações. Porém, com toda certeza será o fogo do juízo de Deus sobre um mundo mau; será com toda certeza uma série de julgamentos que encerrará a presente era.

Como citamos acima, esse fogo não se restringe apenas a um julgamento, mas também a limpeza e purificação. A nossa esperança é por novos Céus e nova Terra nos quais habite a justiça (II Pedro 3:13), onde o ciclo interminável do mal, das doenças, das injustiças, da morte, devam desaparecer cumprindo-se as promessas do Deus Altíssimo.
Mas assim como meu amigo, existem hoje milhares de pessoas agnósticas e outras tantas zombadoras, incrédulas e escarnecedoras que perguntam: onde está a promessa de sua vinda?

Tantos profetizaram e as coisas permanecem do mesmo jeito desde o principio da criação.

Tais pessoas se esquecem ou mesmo não sabem que as promessas de Deus serão cumpridas. Tais promessas têm-se cumprido de geração em geração. Cumpriu-se nos dias de Ló, depois cumpriu-se nos dias de Noé, Cumpriu-se em Cristo Jesus, e se cumprirá com a intervenção divina num futuro de fogo. Pedro disse (II Pe 3:10): os céus passarão com estrepitoso estrondo, os elementos arderão, e a terra e todos as obras que há nela se queimarão.

Mas, mais importante que a transformação física que ocorrerá será a grande transformação moral e espiritual que deverá ocorrer que mudará a ordem de todas as coisas. Tais transformações fará com que o novo mundo seja um mundo onde a justiça habite.

Muitos estudiosos, críticos e personalidades mundiais não acreditam que esse nosso planeta deverá passar por essa grande transformação previstas nas profecias bíblicas, pois acham ser o homem um ser autodidata e capaz de produzir uma nova terra, um novo paraíso onde haja paz. Porém, tais expectativas humanas são sonhos impossíveis de ser realizado pois o pecado não pode ser destruído ou modificado por processos científicos (a maldição proveniente do pecado e o próprio pecado são as únicas coisas erradas na natureza física e humana). É a erradicação do pecado o fato responsável pela grande transformação moral e espiritual que deverá acontecer.

A maldição na natureza física deverá ser mudada por um processo de libertação que a transformará. Então a justiça será a característica determinante do novo mundo. Devemos observar que o primeiro passo para a transformação moral já foi dado. Esse passo foi dado no Gólgota onde o pecado foi julgado, e o veredito foi estabelecido: culpado; portanto o seu fim está próximo. Resta-nos então esperar que todos os vestígios do pecado e da corrupção serem destruídos e a matéria ser purificada.

A maldição imposta pelo pecado deve ser eliminada de forma universal, bem como todo mal no homem e na natureza, para que não reste nenhum obstáculo para o surgimento de um novo mundo.

Os cépticos acham isso surreal (absurdo), mas posso afirmar que o céu é mais do que um estado de Espírito, e sim um lugar que está sendo preparado aos que vencer e não receberá o dano da segunda morte (Apocalipse 2:11).

É verdade que o homem não mudou no decorrer dos tempos, ele continua em pecado e rebelde a Deus, rejeitando os testemunhos da Escritura Sagrada. Os homens em sua grande maioria permanecerá dessa forma até o soar da trombeta que o convencerá que o Senhor vem, e o dia do juízo para os iníquos chegou.

Hoje, não é diferente de ontem. O mundo se encontra envolvido pelo prazer, sexo, dinheiro. Os homens não querem ver, não querem ouvir, só se interessam pelo que lhes agrada. Dessa forma apressam-se no caminhar para a perdição.

O homem atual (moderno) não admite pensar em Deus em termos de ira, raiva, juízo. Preferem moldá-lo com características de amor, misericórdia e perdão, isento de justiça. É verdade que Deus é isso tudo, mas essas características de Deus não podem existir se a elas não forem mesclado a justiça.

O quadro pintado pelos homens “modernos” abole a lei que exige obediência absoluta e os padrões de uma vida reta para se deterem a uma nova moralidade. É nessa visão que muitos dirigentes religiosos continuam reconstruindo Deus, de acordo com as tendências seculares e humanistas de nossa época.

O mundo visto desta forma torna-se num mundo caótico, irresponsável e autodestrutivo, onde a felicidade e os padrões morais bíblicos seriam impossíveis de existir pois barrariam nas ambições dos poderosos e dos homens maus porque estes não entendem o que é justo (Provérbios 28:5).

O homem não tem o direito de baixar os padrões bíblicos em nome de Deus sem incorrer no perigo de blasfemar contra Deus e tornar-se culpado de heresias.

A Bíblia Sagrada nos ensina que Deus vai julgar todos os homens (Mateus 11:22; 12:36; 13:41-42; João 5:22). Tal julgamento é coerente com a justiça, misericórdia e o amor. A justiça é coerente com o julgamento pois não poderia existir a lei sem a existência das penalidades. Muitos praticam a maldade esquecendo-se que em uma época futura terão de pagar a pena pelas transgressões cometidas.

O julgamento é coerente com a misericórdia pois Deus age conforme os padrões de justiça e retidão, constituindo-se em parte da ordem divina. Ninguém poderá ser misericordioso sem ser justo. O rompimento da lei exige punição. A Lei não é feita para os justos e sim para o injustos, então a misericórdia é uma qualidade a ser preservada e não negligenciada.

O julgamento é coerente com o amor. Um Deus de amor tem também de ser um Deus de justiça. O amor de Deus não pode privilegiar os justos, antes deverá servir de punição dos transgressores deste mesmo amor. O amor faz a separação entre os justos e os injustos. O amor de Deus é imenso. Foi por causa deste imenso amor que Ele entregou seu próprio Filho na cruz do Calvário para que nós não tivéssemos de enfrentar o julgamento de nossos pecados.

Deus ofereceu o seu amor, misericórdia e perdão ao homem e lá da Cruz Ele disse: “Eu te amo”. Mas, com a rejeição desse amor não restou nenhuma alternativa para Deus a não ser o julgamento.

Mas, esse julgamento será feito em partes no futuro (não iremos entrar em detalhes sobre os julgamentos), mesmo porque o grande julgamento já se efetivou na cruz. Em outras palavras o julgamento do pecado que todos nós merecíamos já foi realizado e dado o seu veredicto: Culpado. Cristo Jesus tomou sobre si o meu, o teu, o nosso julgamento sobre a cruz. Todas as exigências da lei foram cumpridas naquele dia em Cristo Jesus. Ele se fez oferta de si mesmo pelos meus, teus, nossos pecados. A pena que eu merecia, ele a cumpriu em meu lugar. Ele morreu em meu lugar (Romanos 6:23; João 5:24).

Isso quer dizer que o verdadeiro cristão não entrará em julgamento, pois esse julgamento já passou (Jeremias 31:34). Mas lembre-se: nós não seremos julgados por méritos próprios, mas sim pelo mérito da obra de Cristo, e, se somos cristão verdadeiros não passaremos por esse julgamento, pois isso já aconteceu na Cruz.

Então eu posso fazer qualquer coisa que estarei salvo?
Nada disso! Se eu sou um cristão verdadeiro então sou “cumpridor da lei”, isto é, aceitei Cristo Jesus como Senhor e Salvador de minha vida, então devo evitar tudo o que não é justo, tudo o que não é reto, devo ainda me desviar de meus maus caminhos, pois como cristão somos feitos justiça de Deus (Romanos 4:4-5; 5:12-21). Por isso devemos nos revestir do Espírito Santo, tornando-nos novo homem criado por Deus em verdadeira justiça e santidade, porque por esse mesmo Espírito fomos selados para o dia da Redenção.

Amém.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

O Egoísmo Escraviza

Diz a lenda que a certo homem foi dada permissão para visitar o céu e o inferno.

Primeiramente ele foi levado ao inferno.
Ao abrirem a porta, ele viu uma sala em cujo centro havia um caldeirão onde se cozinhava uma suculenta sopa. Em volta dela, estavam sentadas pessoas famintas e desesperadas; cada uma delas tinha presa à mão uma colher de cabo tão comprido que lhes permitia alcançar o caldeirão, mas não suas próprias bocas. O sofrimento era imenso.

Em seguida, o sujeito foi levado para o céu.
Ele entrou em uma sala idêntica à primeira; nela havia o mesmo tipo de caldeirão e as pessoas o mesmo tipo de colher presa às mãos, no entanto, todos estavam felizes e saciados.

- Eu não compreendo, disse o homem, como as pessoas aqui conseguem se alimentar, ao contrário das pessoas lá do inferno, que estão passando fome?

O anjo sorriu e respondeu:
- Você não percebeu? Aqui eles dão comida uns aos outros.

Servindo uns aos outros conforme o dom que cada um recebeu,
como bons despenseiros da multiforme graça de Deus. I Pedro 4.10

Pastor Gilberto Pratas: Intimidade com Deus

O que se entende por Intimidade?
Para o mundo ser íntimo de alguém é conhecer o outro com profundidade. Isto quer dizer conhecer os anseios, os desejos, os segredos do coração. Em outras palavras podemos dizer que intimidade significa conhecer a vida íntima e particular de alguém. É estar ligado por afeição e confiança com alguém.

Conhecer alguém intimamente requer tempo e esforço de nossa parte e não se trata de algo unilateral uma vez que para conhecer alguém intimamente é necessário que também sejamos conhecidos por esse alguém. A intimidade não permite barreiras de qualquer natureza. Portanto a intimidade depende das duas partes.

Como já falamos, a intimidade requer confiança. Essa confiança se tornará real quando conhecemos uma pessoa, e isso só acontece com o passar de algum tempo. Se todos dias nós conversarmos um pouco e formos nos conhecendo mais e mais, chegará uma hora em que teremos confiança um no outro para lhe contar tudo o que se passa em nosso interior. Podemos então afirmar que a intimidade virá com a convivência. Nós não podemos ser íntimos de uma pessoa com a qual conversamos raramente e sempre temos uma conversa superficial.

Não queremos aqui falar de intimidade entre seres humanos, mas sim da intimidade com o Pai (Deus).Porém, a intimidade com Deus não é diferente. Só existirá uma intimidade com Deus perfeita se nós o conhecermos profundamente e então possamos realizar os desejos de Seu Coração. Sabemos que Deus nos conhece no mais profundo de nosso íntimo, mas para que sejamos íntimos d’Ele não basta apenas Ele nos conhecer, é preciso que nós também o conheçamos plenamente.

Lembre-se que Deus sempre buscou ter intimidade com o homem, ele sempre quis estar próximo de nós. Ele sempre quis falar face a face conosco, porém o pecado separa o homem de Deus. A Bíblia nos fala que Deus falava face a face com Adão todos os dias, mas com a queda do homem esta aproximação foi barrada porque o pecado colocou uma barreira entre o homem e Deus.

Para que essa barreira pudesse ser quebrada Ele enviou Jesus, para pagar o preço pelos nossos pecados. Com sua morte e ressurreição tivemos acesso ao trono de Deus, desde que nos apresentemos em vestes de núpcias, lavados no sangue do cordeiro. Este foi o preço que Deus pagou para que possamos usufruir de sua intimidade: a morte de seu filho amado na Cruz do Calvário.

Por isso, ter intimidade com Deus é manter um relacionamento espiritual profundo e, requer transformação em nós de dentro para fora. Nós como corpo de Cristo podemos usufruir desta intimidade, porém a maioria das pessoas que se dizem cristãos não tem dado o devido valor.

Esse é o desejo de Deus: ser intimo com o homem!

Como podemos ser íntimos de Deus?
Precisamos falar diariamente com Ele. Porém o nosso falar não deve ser coisas superficiais, orações corriqueiras de todo “crente”, que ora ao acordar (?), na hora das refeições (?) e na hora de dormir(?),Deus quer ser nosso íntimo, então devemos tratá-lo como uma pessoa íntima, como um amigo íntimo. Você lá no mundo passa horas falando com seus amigos, contando a eles tudo que se passou no dia a dia e ouvindo o que se passou com eles. Você abre o seu coração, fala de suas ambições, sonhos e desejos. Pois bem, Deus requer que passemos um tempo com Ele todos os dias, Ele não quer migalhas, a sobra de nosso tempo, Ele quer que contemos a ele os nossos desejos, sonhos e segredos mais profundos. Mesmo já sabendo de tudo isso é desejo de Deus ouvir de nossa boca, Ele tem prazer em nos ouvir e falar conosco. Ele quer ter a oportunidade de compartilhar conosco os sonhos, os planos, e os desejos mais profundos do coração d'Ele.

A Bíblia Sagrada nos informa que:

A intimidade do Senhor é para os que o temem, aos quais ele fará conhecer a sua aliança. (Salmos 25.14)

É essa mesma Palavra Sagrada que nos informa que somos o templo do Espírito Santo, e, portanto, como templo devemos saber que Deus está em nós e nós estamos n’Ele.É por isso que a transformação deve ser de dentro para fora, esse relacionamento deve e tem de ser trabalhado, cultivado para que o amor não venha a esfriar e empobrecer.

A intimidade com Deus é como se fosse um tesouro escondido que deve ser explorado, e para explorá-lo requer trabalho, trabalho árduo. Muitas pessoas acham que por ter aceitado Cristo um dia como Senhor e Salvador de suas vidas já estão salvos e nada do que vierem a fazer no futuro impedira a sua salvação. É verdade que a salvação é gratuita, mas a pessoa para ser salva deve seguir os mandamentos de Deus, fazer a vontade de Seu Criador, desviando-se dos maus caminhos.

Mas, salvação e intimidade são coisas distintas, enquanto uma nos dá acesso a vida eterna junto ao Pai, a outra nos permite conhecer o coração do Pai. Enquanto a salvação é dom de Deus (graça) a intimidade tem um preço a ser pago (e nem todos estão dispostos a fazê-lo), requer tempo na presença de Deus, negar as coisas do mundo, de parar tudo para sentir e ouvir a sua presença em nossa vida.

Algumas pessoas pensam que à partir da nossa conversão nossa intimidade com Deus já é plena e suficiente. De fato, quando nos convertemos a Cristo, automaticamente temos comunhão com Deus. Mas intimidade é fruto do quanto queremos conhecer, ouvir, saber, aprender de Deus. Deus nos revela sua Palavra quando a lemos, Se orarmos e perseverarmos nessa atitude, estaremos mais sensível à Sua voz. É um processo, sem dúvida, natural.

Intimidade é falar e saber ouvir.

Da mesma forma como dialogamos com nossos amigos, devemos fazê-lo com Deus, assim como ficamos horas e horas jogando conversa fora em nossas rodas de amigos, devemos também fazê-lo na presença de Deus, não mecanicamente, mas em dialogo proveitoso, com temor (reverência), para que possamos ter esta intimidade almejada e conhecer os segredos do Seu Coração.

É verdade que nem sempre estaremos aptos para ouvir o que Deus nos fala, mas devemos ter plena confiança que a Palavra de Deus é verdadeira e ela nos informa que todos que temem ao Senhor serão por Ele atraídos, e se o deixarmos agir em nossas vidas de forma ilimitada e em todas as áreas, Ele se tornará participante e livre para agir em nossas vidas em qualquer circunstância.

Lembre-se de que Deus pode fazer o que Ele quer, quando Ele quer. Para que Ele venha agir em nossa vida é preciso que nós o convidemos para agir e entrar em nossas vidas. Só teremos intimidade com o Pai se nos sujeitarmos a alguns sacrifícios, pois devemos nos espelhar no modo de viver de Cristo e sermos imitadores de Cristo Jesus. A intimidade é privilégio de poucos, pois só a têm aqueles que o temem e sejam retos, sinceros e dispostos a pagar o preço.

A intimidade é desafio, só para os que estão dispostos a buscá-lo de todo o coração com mãos limpas e coração puro. A intimidade é oferta, isto é nos ofertamos a Deus de corpo e alma, é o desejo de estarmos em sua presença e buscarmos a presença do Senhor em nossas vidas.A intimidade é amor, pois devemos amá-lo sobre todas as coisas, honrando-o com nossas atitudes, com nosso corpo por inteiro, pois somos o templo do Espírito Santo.

Portanto, intimidade com Deus é fruto prático na vida de uma pessoa. Quem se direciona até Deus, acaba conhecendo mais a Deus, mais de Deus. E quem O conhece mais O ama mais por vê-Lo como Ele realmente é. A pessoa que assim anda, acaba se rendendo completamente a Ele e deixando reinar por Cristo. A intimidade então, fluirá.

Essa intimidade com Deus gera unção. A unção é o poder de Deus manifestado pela sua presença. Em outras palavras a unção é a manifestação da presença de Deus em seu poder destruindo as cadeias do inimigo, curando e capacitando os filhos para uma vida cristã plena. A unção tem poder de transformação de pessoas comuns em armas poderosas nas mãos do Deus vivo. Quanto mais próximos (íntimos) estivermos de Deus maior será o poder liberado para uma vida de milagres.

Uma coisa é certa: Deus não derrama fogo em altar sem sacrifício. Muitos querem o poder, mas não querem a presença de Deus. Esquece-se que Poder sem a presença de Deus gera morte. Mas lembre-se a presença do Espírito Santo em nossos corações não é unção. Unção vem pelo intimo relacionamento. A unção faz a diferença.

Jesus disse: os sinais seguirão aqueles que crêem. Os sinais testificam a presença de Deus (Espírito Santo) no homem. E a unção do Espírito Santo é o grande segredo dos homens que mudaram a história do seu tempo. Eles mudaram a história por que tinham unção, fruto de uma vida no altar. E uma vida no altar move os céus. Nós não podemos limitar Deus, onde estiver sua presença, ali há manifestação de seu poder através de milagres e maravilhas.

A unção flui da intimidade com a presença de Deus. Por isso devemos preservar nosso coração e nossa mente. O nosso coração é fonte da vida e não pode ser contaminado pois também contaminará a unção.

Lembre-se: coisas sobrenaturais não tem lógica, os milagres não podem ser explicados, são para ser vistos. Através dos milagres Jesus quebrou as leis naturais. Ele nos revela que podemos fazer as mesmas coisas que Ele fez e maiores ainda. Então o que estamos esperando? Vamos correr atrás. A unção nos capacita para operar numa dimensão de milagres.

Comece agora, procure a intimidade com Deus, coloque-se na brecha, que Ele se apresentará a você. Tenha paciência que você verá com o decorrer do tempo uma mudança fundamental em sua vida e ministério.

Aposte em você!
Porque para Deus você é único.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Pastor Gilberto Pratas: Passos para vencer Grandes Batalhas


...E uma mulher, das mulheres dos filhos dos profetas, clamou a Eliseu, dizendo: Meu marido, teu servo, morreu; e tu sabes que o teu servo temia ao SENHOR; e veio o credor, para levar os meus dois filhos para serem servos.

E Eliseu lhe disse: Que te hei de fazer? Dize-me que é o que tens em casa. E ela disse: Tua serva não tem nada em casa, senão uma botija de azeite.

Então disse ele: Vai, pede emprestadas, de todos os teus vizinhos, vasilhas vazias, não poucas.Então entra, e fecha a porta sobre ti, e sobre teus filhos, e deita o azeite em todas aquelas vasilhas, e põe à parte a que estiver cheia. Partiu, pois, dele, e fechou a porta sobre si e sobre seus filhos; e eles lhe traziam as vasilhas, e ela as enchia.

E sucedeu que, cheias que foram as vasilhas, disse a seu filho: Traze-me ainda uma vasilha. Porém ele lhe disse: Não há mais vasilha alguma. Então o azeite parou.Então veio ela, e o fez saber ao homem de Deus; e disse ele: Vai, vende o azeite, e paga a tua dívida; e tu e teus filhos vivei do resto.

Ao lermos esta passagem podemos verificar que ocorreu um milagre, ou seja, o azeite se multiplicou. Porém se olharmos pelas entrelinhas poderemos verificar que a Bíblia Sagrada quer nos ensinar algumas coisas com essa passagem. É verdade também que Deus com sua infinita misericórdia nos mostra que os milagres acontecerão em todos os tempos e que só através d’Ele poderiam acontecer.

O milagre está bem a nossa frente: a multiplicação do azeite que já foi mencionado. Mas como também falamos Deus quer nos ensinar algo para nossa vida diária e que possa nos acompanhar por todos os dias que permanecermos nesta terra. O título dado nos leva a pensar que para vencermos grandes batalhas existem passos a ser seguidos, o que não é verdade, pois se assim fosse todos nós poderíamos fazer coisas maravilhosas apenas pelo imitar ou copiar grandes homens de Deus.

Vamos então analisar o texto sugerido:
A primeira coisa que nos vem a mente é: CRER. Esse crer implica em acreditar e também em confiar. A mulher era esposa de um dos discípulos de Eliseu, logo deveria conhecer a Deus, ou por ter tido com Ele alguma experiência ou porque havia ouvido falar do Senhor dos Exércitos através de seu marido que era um homem que temia a Deus como ela mesma falou. Eu fico com a primeira hipótese embora a segunda não possa ser descartada uma vez que ela por várias vezes ouvia seu marido falar sobre Deus(mesmo para ensinar seus filhos).

Aquela mulher sabia onde procurar socorro, ela recorreu ao profeta, pois o conhecia e sabia que ele realmente era um profeta de Deus. Portanto, se queremos vencer grandes batalhas não devemos confiar em nós mesmos, mas sim naquele que nunca perdeu uma batalha e que sempre está pronto para vir em nosso auxilio. Acreditando que Ele trará para nós o refrigério necessário em nossas vidas. Devemos ter confiança nas promessas de Deus, porque não há uma única promessa que Deus não cumpra, porém nenhuma promessa de Dus será cumprida se não confiarmos e batalharmos para sua realização.

O segundo passo que visualizamos nesta passagem é que PRECISAMOS DA AJUDA DAS PESSOAS. As pessoas são na maioria das vezes a resposta de Deus para nossas orações. Ninguém vence sozinho uma batalha, dependemos sempre da ajuda de alguém para alcançarmos nossos objetivos. Deus sempre colocará alguém perto de nós que tem a chave da porta que precisamos abrir. Observe que no texto a mulher precisou do profeta que lhe mostrou o caminho e de todos os seus vizinhos que lhe auxiliaram emprestando vasilhas para guardar o azeite. Não é diferente em nossa vida. Deus proverá alguém que muitas vezes nos trará palavras que nos levará a vitória.

O terceiro passo que visualizamos nesta passagem é que precisamos nos ESFORÇAR PARA ENXERGAR A NOSSA BENÇÃO. Muitas pessoas perdem suas bênçãos por não ter capacidade de enxergar o que Deus está colocando em seu caminho. Ter capacidade de enxergar nossas bênçãos é primordial em nossas vidas e, muitas vezes as bênçãos que Deus tem para nós não é aquilo que desejamos conquistar, mas os caminhos pelos quais devemos passar para que nossos anseios e desejos sejam realizados. O instrumento usado por Deus para nos dar a vitória podem estar muito perto, diria mesmo a frente de nosso nariz, mas as conquistas são perdidas por falta de visão, sendo cegos para aquilo que Deus quer nos proporcionar. Lembre-se quem não estamos sós nesta terra e que Deus sempre levantará alguém que irá nos amparar (quer com dinheiro, quer com proteção, quer com orações, etc) para impedir que venhamos cair diante de uma batalha.

No texto, a mulher sabia o que queria. Ela sabia que não existia nenhuma esperança material, mas ela sabia também que a sua vitória estava em Deus.

O quarto passo que visualizo nesta passagem é OBEDIÊNCIA a Palavra profética por mais louca que possa parecer. Imagine você alguém tenha contraído uma dívida de R$ 40.000,00 e que essa mesma pessoa recebe um salário mínimo por mês. Essa dívida é impagável para ela. Se ela não gastasse um tostão do salário e todo ele fosse destinado a pagar sua dívida ela precisaria trabalhar quase oito anos para quitar a dívida, isto sem gastar nada.

Mas essa pessoa acredita em Deus, procura um profeta (pastor) para se aconselhar. Então o pastor pergunta para ela o que você tem em casa. Ao que ela responde: nada. Melhor, tenho apenas um litro de gasolina.

O pastor fala: ainda bem. Então procure com os seus vizinhos, amigos, uns tambores de 200 litros cada um. Muitos tambores, pelo menos uns quinhentos tambores. Quando tiver com todos esses tambores em seu poder pega o litro de gasolina e começa a derramar nestes tambores e põe de lado os que já foram cheios.

Imagina agora que fosse você que estivesse nesta situação. Você olharia para o rosto do pastor e diria: Eu vim aqui com um problema sério e o senhor quer tirar um “barato” na minha cara. Você faria isso porque não é uma pessoa espiritual e sim um incrédulo.

Aquela mulher ela acreditou nas Promessas de Deus contida na Bíblia sagrada e sabia que seu milagre estava nas mãos de Deus e não do homem, por isso ela obedeceu o profeta, foi para sua casa e procedeu da forma como o profeta havia dito. E o milagre aconteceu.

Se esta pessoa acreditar, o milagre também acontecerá na sua vida, pois Deus não mudou, Ele é o mesmo. Ele fará a gasolina multiplicar e com estes cem mil litros de gasolina ela terá dinheiro suficiente para pagar sua dívida e sobrará uma boa quantia com a qual poderá viver o resto de sua vida.

O quinto passo que visualizo nesta passagem é que as PESSOAS DEVEM COLOCAR DEUS A FRENTE DE TUDO O QUE VAI FAZER. Só age como essa mulher agiu quem tem uma aliança com Deus. Antes de fazer qualquer coisa consulte Ele primeiro e aja depois. Se nós agimos primeiro e o consultamos depois precisaremos trabalhar muito para consertar o que dá errado. Lembre-se Deus não tem obrigação de mudar aquilo que nós conscientemente realizamos por nossa livre vontade. Lembre-se que Deus é a autoridade espiritual máxima em nossa vida, e a Ele devemos nos submeter. Abaixo dele temos outras autoridades a quem devemos também nos submeter, tais autoridades em nossas vidas são um divisor de águas. Elizeu era para essa mulher uma autoridade a quem ela se submeteu, ela não questionou, simplesmente obedeceu pois ela sabia que isso era de Deus.

O sexto passo que visualizo nesta passagem é que as PESSOAS PRECISAM VER DEUS NA SUA VIDA. Quando nossos inimigos verem que Deus se faz presente em nossas vidas eles ficarão desanimados e se retirarão com toda oposição e o poder das suas adversidades não podem prevalecer. Observe que esta mulher estava desesperada, não tinha nada, o credor iria levar seus filhos como escravos, só lhe restava desgraça e morte, porém ela sabia que existia um trunfo ainda, ela sabia que Deus existia, e que Deus estava com ela, e que Ele lhe enxugaria o pranto e lhe traria o refrigério necessário.

Ela tinha consciência de que no caminhar com Deus receberia “pedradas”, mas sabia também que tais pedradas serviriam de experiências para outras grandes pelejas que elas a habilitariam para conquistas ainda maiores. Tais pedradas farão com que vejamos o céu se abrir e as conquistas chegarem as nossas mãos. Porque a vitória é nossa em Nome de Cristo Jesus.

O sétimo passo que visualizo nesta passagem é que TODA CONQUISTA PRECISA SER CELEBRADA. A mulher fez saber ao homem de Deus. Essa também deve ser o nosso procedimento. Devemos celebrar com adoração a Deus. Toda batalha ganha, toda conquista não pode ficar apenas para nós, devemos abrir nossos lábios para adorar a Deus e testemunhar o que Ele nos fez. Adore tudo o que Ele já fez. Glorifique por tudo o que Ele ainda fará. Não se cale jamais. O seu silêncio pode representar que você não ficou contente com a vitória. Lembre-se que quando nossa adoração sobe, as conquistas descem, pois Deus nos fez para sermos mais que vencedores em Cristo Jesus.
Como eu disse no inicio, esses passos não garantem a vitória, mas nos levam muito próximo de Deus, então como estamos indo para uma batalha é necessário que não esqueçamos de nosso alimento, pois um soldado com fome é uma presa fácil para o inimigo. Então devemos nos prover do alimento necessário para qualquer batalha espiritual que é: Jejum e oração, estes dois ingredientes em nosso cardápio nos dará intimidade com Deus, e essa intimidade nos levará a Sua Unção e a unção nos trará Poder. Poder para vencer. Poder para perseverar. Poder para estar cada vez mais na presença do Deus Altíssimo.

Que Deus os abençoe.

Não esqueça de comentar!!! Sua opnião é importante para nós!!!

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Castelos de Areia

Sol a pino. Maresia. Ondas ritmadas. Na praia está um menino.

Ajoelhado, ele cava a areia com uma pá de plástico e a joga dentro de um balde vermelho. Em seguida, vira o balde sobre a superfície e o levanta. Encantado, o pequeno arquiteto vê surgir diante de si um castelo de areia. Ele continuará a trabalhar a tarde inteira. Cavando os fossos. Modelando as paredes. As rolhas de garrafa serão as sentinelas. Os palitos de sorvete serão as pontes. E um castelo de areia será construído.

Cidade grande. Ruas movimentadas. Ronco dos motores dos automóveis. Um homem está no escritório.

Em sua escrivaninha, ele organiza pilhas de papel e distribui tarefas. Coloca o fone no ombro e faz uma chamada. Como que num passe de mágica, contratos são assinados e, para grande felicidade do homem, foram fechados grandes negócios. Ele trabalhará a vida inteira. Formulando planos. Prevendo o futuro. As rendas anuais serão as sentinelas. Os ganhos de capital serão as pontes.Um império será construído.

Dois construtores de dois castelos. Ambos têm muita coisa em comum: fazem grandezas com pequeninos grãos...

Constroem algo do nada. São diligentes e determinados. E, para ambos a maré subirá, e tudo terminará. Contudo, é aqui que as semelhanças terminam. Porque o menino vê o fim, ao passo que o homem o ignora.

Observe o menino na hora do crepúsculo. Quando as ondas se aproximam, o menino sábio pula e bate palmas. Não há tristeza. Nem medo. Nem arrependimento. Ele sabia que isso aconteceria. Não se surpreende. E, quando a enorme onda bate em seu castelo e sua obra-prima é arrastada para o mar, ele sorri... Sorri, recolhe a pá, o balde, segura a mão do pai e vai para casa.

O adulto, contudo, não é tão sábio assim. Quando a onda dos anos desmorona seu castelo, ele se atemoriza... Cerca seu monumento de areia, a fim de protegê-lo.

Tenta impedir que as ondas alcancem as paredes. Encharcado de água salgada e tremendo de frio, ele resmunga para a próxima onda. “É o meu castelo” diz em tom de afronta. O mar não precisa responder. Ambos sabem a quem a areia pertence...

Talvez você não saiba muito sobre castelos de areia. Mas as crianças sabem. Observe-as e aprenda. Vá em frente e construa, mas construa com o coração de uma criança. Quando chegar a hora do pôr-do-sol e a maré levar tudo embora, aplauda.

Aplauda o processo da vida e segure bem a mão do PAI.

Autor desconhecido

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Pastor Gilberto Pratas: Conversão

A Bíblia ensina assim, que o homem pode passar por uma transformação radical, espiritual e moral, produzida por Deus. A palavra utilizada por Cristo Jesus para esse fato foi “nascer de novo”. No terceiro capítulo de João nos é ensinado que o novo nascimento é produzido por Deus no homem quando este deseja aceitar a Cristo como Senhor e Salvador de sua vida. Sabemos que o homem está morto pelos seus delitos e pecados, e que sua grande necessidade é de VIDA. O homem não possui dentro de si a semente da nova vida, esta semente tem de vir de Deus.

Esse novo nascimento é mais do que uma simples reforma. O homem procura sempre reformar-se, mas as reformas por ele feita são temporárias. Porém a transformação feita por Deus muda a natureza humana.

Podemos ilustrar o que falamos da seguinte forma: Um grupo de pessoas (manicures, barbeiros, pedicures, estilistas e alfaiates) resolveram demonstrar o valor de sua arte e para isso pegaram um mendigo num bairro pobre e cortaram-lhe o cabelo, fizeram-lhe os pés e mãos, maquiaram-no e por fim vestiram-no com finissimas roupas. Dessa forma puderam demonstrar o valor do bom corte de cabelo, da estética humana e da boa aparência quando uma pessoa se encontra produzida por bons profissionais. Mas três dias depois o mendigo estava novamente nas sarjetas. Fora externamente transformado em homem de aspecto respeitável, mas os impulsos de seu ser íntimo não se haviam transformado. Fora perfumado e bem tratado, mas não modificado.

Com esse exemplo queremos dizer que podemos podemos lavar um porco, escová-lo e até mesmo borrifa-lo com perfume, colocá-lo em nossa casa, mas quando o soltarmos ele pulará na primeira poça de lama que encontrar pela frente, isto porque é essa a sua. A aparencia externa pode ser mudada, porém no íntimo ele continua sendo um porco e sua natureza íntima não é modificada e ele fará justamente aquilo que ele está acostumado a fazer.

Tais mudanças feitas pelo homem é e será sempre temporária, porém a Bíblia nos ensina que com o novo nascimento (mudança feita por Deus) o homem entra num mundo novo. A transformação não é externa ela começa de dentro para fora. A transformação que ocorre no homem se processa com diversos contrastes: concupiscência e santidade, trevas e luz, morte e ressurreição, um estranho que se torna um cidadão no Reino de Deus. A sua vontade é modificada, os seus objetivos na vida são transformados, a sua disposição mudada, as suas afeições transmutadas e ele passa a apresentar propósitos e significados em sua vida. No novo nascimento, nasceu uma vida nova em sua alma, e ele recebe nova natureza e novo coração. Torna-se uma nova criatura.

Nenhuma religião é suficiente para salvar uma pessoa, nem mesmo a lei de Moisés era suficiente. Nada poderá salvar uma pessoa pois tais coisas não atendem as exigências para a salvação pessoal do ser humano. Pois, para que uma pessoa seja salva é necessário nascer de novo em Cristo Jesus. Somente quem tiver essa vida (vida de Cristo) poderá entrar no Reino dos céus, para isso é necessário possuir a vida eterna, pois só aquele que tiver a vida em Deus poderá entrar. Pois esta vida em Deus fará a transformação, este encontro com Cristo Jesus tornará o homem em outro ser que será mudado no caráter, na conduta e até mesmo no ambiente.

Podemos citar como exemplos as mudanças ocorridas em algumas personagens citadas na Bílbia como: o endemoniado gadareno (Lucas 8:26-29); Zaqueu (Lucas 19:8); Saulo (Atos 9); O carcereiro filipense (Atos 16).
Mas esta transformação não foi determinada para algumas pessoas apenas, e sim para todos os que colocarem sua confiança em Cristo Jesus como seu Senhor e Salvador pessoal. Qualquer pessoa pode receber esse novo nascimento. Essa nova vida é algo que você pode receber agora, já!, é só você querer. Deus oferece a vida eterna a todos os que a queiram receber. A vida eterna é um presente dado por Deus. Há um momento em que não a possuímos, e outro em que a temos. Deve haver o momento em que seja aceita. E neste momento em que a receber podemos reconquistar o paraíso que perdemos no Jardim do Éden. Sim, podemos recuperá-lo por intermédio de Jesus Cristo. Com essa nova vida podemos transformar o mundo em que vivemos! Esta é a única esperança para esse mundo perdido, este é o remédio único disponível para uma geração doente e agonizante, sem esperanças. Não há outra solução! O homem tem de passar por uma renovação completa, vinda de dentro de si mesmo.

Mas, estas perguntas ecoam no ar: Que posso fazer para receber Cristo Jesus? O que devo fazer para ser perodado dos meus pecados? Estas perguntas feita através dos tempos indica que os anseios espirituais do homem pouco mudou no passar dos séculos. Essa mesma pergunta foi feita pelo jovem rico a Jesus (Marcos 10:17); foi perguntado a Pedro após ter pronunciado o sermão no dia de Pentecostes (Atos 2:37); pelo eunuco a Filipe (Atos 8:36); pelo carcereiro filipense a Paulo e Silas (Atos 16:30), ainda hoje milhares de homens e mulheres mostram preocupados com que resposta podem obter para estas perguntas.


O que deve fazer o homem para reconciliar-se com Deus?

Esta pergunta pode ser respondida com simplicidade, uma vez que Jesus tornou tudo tão simples, e muitas vezes nós complicamos tanto as coisas! Ele respondeu às pessoas em frases curtas. Ele apresentou a mensagem de Deus com tanta simplicidade que muitos não podiam compreender o que Ele queria dizer. A resposta é simples: "Crê no Senhor Jesus”. Isso é tão simples que milhões de pessoas se confundem. A única decisão pela qual podemos converter-nos é nossa decisão de crer em Jesus como nosso Senhor e Salvador pessoal. Não é preciso arrumar as nossas vidas primeiro. Não é preciso acertar antes as coisas em casa e nos negócios. Não é preciso tentar abandonar algum hábito que nos esteja impedindo de chegar a Deus.

A única coisa realmente necessária para ser salvo é: “Crê no Senhor Jesus”. Esse fato é chamado na Bíblia Sagrada de conversão. A palavra conversão significa "voltar-se". A Bíblia mostra Deus suplicando ao homem que se volte para Ele É impossível ao homem, no entanto, voltar-se para Deus a fim de arrepender-se ou, mesmo, crer, sem a ajuda de Deus! Tudo o que podemos fazer é pedir a Deus que "nos volte". Quando um homem apela para Deus, é-lhe concedido o verdadeiro arrependimento e a fé. Por esse motivo, o Apóstolo Paulo podia dizer: "Todo aquele que invocar o nome do Senhor, será salvo" (Romanos 10:13). A Bíblia nunca pede ao homem que se justifique, regenere e converta, ou salve a si mesmo. Só Deus pode fazer essas coisas. Os elementos da conversão são o arrependimento e a fé. O arrependimento traz consigo um reconhecimento do pecado que acarreta culpa e rebaixamento pessoal diante de Deus, mas não quer dizer um desprezo servil por si próprio. O arrependimento quer dizer uma mudança de sentimentos. O arrependimento também quer dizer uma modificação de propósito e leva consigo a idéia de uma rejeição íntima do pecado, pelo exercício da vontade. O arrependimento torna-se a chave, e o perdão de Deus o portão, para entrar no Reino de Deus.

O segundo elemento da conversão é a fé. A Biblia diz que quem crer e for batizado será salvo e quem não crer já esta condenado. Como é natural, devemos também compreender o que essa palavra "crer" implica em "confiar" e "entregar-se". A Bíblia ensina que, sem fé, não é possível agradar a Deus.

Na Bíblia a fé é descrita como "a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que não se vêem" (Hebreus 11:1). A fé não é apenas seguir a Cristo; é apoderar-se de Cristo, pois Ele é o objeto de nossa fé. Não é apenas um sentimento subjetivo, mas um ato objetivo. É crença numa pessoa, e essa pessoa é Cristo.

A fé também é compromisso. Na verdade, a fé é o que sabemos, como nos sentimos e o que fazemos a respeito de Jesus Cristo, e assim ela se torna ação, e essa ação é fé e compromisso.

Você está disposto hoje a voltar-se para Cristo? Você está disposto a aceitá-lo como Senhor e Salvador de Sua Vida. Então tome a sua decisão porque o momento é hoje, é agora!!!

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

A Piscina e a Cruz

Conta-se que um excelente nadador tinha o costume de correr até a água e molhar somente o dedão do pé antes de qualquer mergulho.

Alguém intrigado com aquele comportamento, lhe perguntou qual a razão daquele hábito. O nadador sorriu e respondeu:

Há alguns anos, numa certa noite perdi o sono e fui à piscina para nadar um pouco. Não acendi a luz, pois a lua brilhava muito. Quando eu estava no trampolim, vi minha sombra numa parede à minha frente. Com os braços abertos, minha imagem formava uma magnífica cruz. Em vez de saltar, fiquei ali parado, contemplando aquela bela imagem.

Nesse momento pensei na cruz de Cristo e em seu significado. Eu não era um cristão, mas quando criança aprendi que Jesus tinha morrido para nos salvar. Sentei-me no trampolim, enquanto aqueles ensinamentos vinham-me à mente. Não sei quanto tempo fiquei ali parado, mas, ao final, eu estava em paz com Deus.

Desci do trampolim e resolvi apenas tomar um gostoso banho, quando, para meu assombro, descobri que haviam esvaziado a piscina naquela tarde.

Naquela noite a cruz de Cristo salvou-me duas vezes: da morte física e da morte espiritual. Por isso molho o dedão do pé, antes de saltar.

Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus
é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor. Romanos 6.23

Autor desconhecido

Briga de Cachorro Grande

Um novo convertido desabafa:
- Missionário, desde que entreguei minha vida a Jesus, uma luta está sendo travada dentro de mim. Uma luta entre o bem o mal. O bem, sempre me convidando a fazer coisas boas, e o mal, sempre me levando a fazer coisas ruins. É como se fossem dois cachorros brigando o tempo todo, um cachorro bom e um ruim.

Então o missionário perguntou:
- E qual dos dois cachorros está vencendo a luta?

Ao que o novo convertido respondeu:
- O cachorro que eu alimento todo dia!

Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; com efeito o querer o bem está em mim, mas o efetuá-lo não está. Pois não faço o bem que quero, mas o mal que não quero, esse pratico. Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. Romanos 7.18-20

Autor desconhecido

sábado, 28 de novembro de 2009

sábado, 21 de novembro de 2009

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Pastor Gilberto Pratas: Prosperidade

TEXTO BASE: SALMO 1

Muito se tem falado a respeito de prosperidade. Hoje queremos tentar esclarecer prosperidade segundo uma visão estritamente bíblica. O termo prosperidade apresenta vários significados, dos quais podemos enunciar: qualidade ou estado de ser próspero, situação próspera; a pessoa próspera é um ser afortunado, ser favorável, que progrediu, que se desenvolveu, ditoso, feliz, venturoso, etc.

Porém, biblicamente a palavra prosperidade vai muito mais além do que isso. Uma verdadeira definição sobre esse assunto lemos no Salmo 1. Em outras palavras a Bíblia nos informa que ser próspero não significa necessariamente ser rico, uma vez que existem muitos ricos que não são prósperos. Pois ser próspero é ter o suficiente para a satisfação pessoal e poder repartir com outras pessoas e com isso sentir-se feliz, realizado.

Hoje encontramos milhares e milhares de pessoas correndo atrás da felicidade, atrás de paz e harmonia para suas vidas, porém tais pessoas tem procurado essa realização pessoal em lugares errados, pois as procuram nos shoppings, nas boates, diversões, em centenas de outras fontes que não podem dar a eles uma felicidade e uma paz duradoura. Nestas fontes as pessoas encontram apenas felicidade e paz passageiras que fluem como o vento e não podem ser armazenadas em suas vidas. São fontes que podemos compará-las a uma lâmpada elétrica que só permanece acessa quando estiver ligada a rede distribuidora e com o interruptor acionado, uma vez interrompida a distribuição ela se apaga, e ... então ... a situação destas pessoas passam a ser piores do que o seu estágio anterior.

A Palavra de Deus nos declara que a única fonte que pode jorrar uma felicidade e paz duradoura é Deus, através de seu filho amado; Cristo Jesus. Deus quer que seus filhos sejam prósperos. Essa é a vontade do Pai. Ele se interessa que seus filhos sejam prósperos, tenham boas coisas nesta vida. Mas, acima de tudo é vontade de Deus que seus filhos sejam salvos, tenham a vida eterna ao seu lado. Então é da vontade de Deus que tenhamos em primeiro lugar uma prosperidade espiritual, segundo as bênçãos de Deus para a nossa vida, nossa família e nosso trabalho. Se assim não fosse não estaria escrito: Buscai primeiro as coisas do alto, e as demais coisas lhe serão acrescentadas. Porém, isto não significa que todos os seres humanos têm de ser ricos materialmente, pois a prosperidade é em primeiro lugar espiritual e depois material. Na economia de Deus o esvaziar vem antes do encher, a confissão do pecado vem antes do perdão e a pobreza precede às riquezas.

Cristo nos diz que há felicidade no reconhecimento dessa pobreza espiritual que permite a entrada de Deus em nossas almas. O homem vive a procura da felicidade porque tem uma alma doente, uma doença terrível, muito pior do que qualquer doença material conhecida (câncer, aids, etc). Essa doença é a praga que causa todas as perturbações e dificuldades que há no mundo, que provoca confusões, atritos, desilusões na vida dos seres humanos. Essa doença tem um nome e se chama “pecado”. Na ânsia de ser moderno, prospero e feliz o homem se esquece daquele que o criou. Afasta-se d’Ele. Procura a qualquer custo encontrar a paz. Esquece-se de que essa paz que tanto procura nunca se afastou de nós, mas esta separada por uma barreira “o pecado” que não permite chegarmos até ela, pois a fonte da felicidade plena não admite a entrada do pecado a Sua presença.

É por isso que muitas vezes até procuramos Deus mas, nossos pecados se coloca entre Deus e o homem e não permite sermos atendidos. Não raras vezes as pessoas parecem “santas” ou “bênçãos” porém, no seu íntimo – que nós não enxergamos – elas estão mais interessadas em fazer riquezas do que servir a Deus. E a Palavra de Deus nos ensina que devemos priorizar as coisas espirituais em detrimento das coisas terrenas. Você pode ter certeza de uma coisa: se você quer ser próspero uma condição é imposta em sua vida: estimar pouco as coisas terrenas. Jamais colocar as coisas materiais diante das espirituais.

Não quero dizer com isso que é errado ter dinheiro, posses, bens. Não, Não, eu seria um verdadeiro idiota se viesse afirmar tal coisa, haja vista que Deus nos afirma ser dele todo o ouro, toda a prata e as demais coisas que existe. Então se Ele é dono de todas as coisas, nós como seus filhos somos herdeiros, co-herdeiros com Cristo Jesus. Como herdeiros temos direito a herança de nosso pai. O que eu quero dizer é que errado é o dinheiro ser seu dono, você ser escravo dele. Pois está escrito: o dinheiro é a raiz de todos os males. Isto quer dizer que o dinheiro não pode ser o senhor de nossas vidas, nosso mestre, que ele seja a causa para nos desviarmos dos caminhos traçados por Deus para nossas vidas.

Deus quer que você seja abastado, prospere, porém esta prosperidade depende de nós, que nós coloquemos o mais importante em primeiro lugar. Essa é uma condição necessária a ser preenchida. Isto quer dizer que a prosperidade espiritual é resultante de se colocar a Palavra de Deus em primeiro lugar e andar na verdade (Deuteronômio 28). Deus nos promete que se andarmos nos seus estatutos e guardássemos os Seus mandamentos, fizéssemos o que é reto aos seus olhos então ele tiraria de nosso meio as enfermidades (Ex 15:26), o número de nossos dias seriam completos (Ex 23:26), que nossos cestos e amassadeiras seriam abençoados, nossos celeiros seriam cheios e que seremos colocados como cabeça e não como cauda (Dt 28:5,8,13).

Todas estas são promessas de prosperidade material, que serão acrescentadas em nossas vidas depois de ter havido uma prosperidade espiritual como está escrito: “Amado, acima de tudo, faço votos por tua prosperidade e saúde, assim como é prospera a tua alma” (3 João 1:2). Observe que a prosperidade física, material, dependerá sempre da prosperidade espiritual. Lembre-se que a prosperidade é dom de Deus, e Ele quer a nossa prosperidade e nos ensina a avaliar como podemos Obtê-la: estimando pouco as coisas terrenas e priorizando as espirituais. “Se quiserdes, e ouvirdes, comereis o melhor desta terra. Mas, se recusardes e fordes rebeldes, sereis devorados à espada.” Isaias 1:19-20. “E quanto ao homem, a quem Deus deu riquezas e fazenda e lhe deu poder para delas comer, e tomar a sua porção, e gozar do seu trabalho, isso é dom de Deus.” Eclesiastes 5:19.

Observe que a promessa de Deus sobre a prosperidade é uma promessa condicional que dependerá sempre do individuo em aceitar ser submisso ao Senhor, fazer-Lhe a vontade, buscá-Lo de todo coração. Homens e mulheres de Deus lograram êxito em suas vidas (Salomão, Josué, Amigos de Daniel) por suas vidas estarem vinculadas a esta condição imposta por Deus. Estes homens entenderam o verdadeiro significado de prosperidade que é o bem estar, a felicidade, a satisfação, o alívio, o conforto, a tranqüilidade como resultado de uma condução com prudência. Pois essa promessa depende do perdão dos pecados. E quando somos perdoados por Deus passamos a ser BEM-AVENTURADOS. Amém.


Não esqueça de Comentar, sua opnião é importante pra nós!!!

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Inverno Rigoroso


Certa vez os índios perguntaram ao novo cacique se o inverno seria rigoroso naquele ano. Ao contrário do seu falecido pai, que nunca tinha errado uma única previsão do tempo em toda a sua vida, ele não tinha a menor idéia de como fazer isso, mas, para não ficar sem dar uma resposta, afirmou que o inverno seria rigoroso.

Imediatamente, todos saíram em busca de lenha para armazenar. O rapaz, preocupado com a situação (afinal, a sua palavra estava em jogo), resolveu ligar para o serviço de meteorologia daquela região indagando como seria o inverno naquele ano: - Será rigoroso, responderam-lhe eles.

Com o endosso do serviço meteorológico, chamou os índios e reforçou sua previsão de um inverno rigoroso. Os índios, então, intensificaram a coleta de lenha e passaram a se dedicar quase que exclusivamente só a isso. Preocupado agora com o frenesi que se instalou na aldeia, o cacique consultou novamente o serviço de meteorologia: - O inverno vai ser muito rigoroso, confirmaram eles.

- Vocês têm certeza disso, é claro? - perguntou-lhes o jovem, tentando reencontrar sua paz interior.
- Sim, temos absoluta certeza! - respondeu-lhe o pessoal da metereologia.
- Mas, como vocês podem ter tanta certeza? Como vocês fazem para prever o clima assim, com tanta antecedência, sem medo de errar?

A explicação daqueles metereologistas quase matou o jovem cacique do coração:
- Escute, meu amigo, nossa estação metereológica fica próxima de uma aldeia indígena que há décadas nos ajuda a fazer a previsão do tempo. Quando os índios começam a juntar muita lenha, é porque o inverno vai ser muito rigoroso. Pode confiar!


Deixai-os; são guias cegos; ora, se um cego guiar outro cego, ambos cairão no barranco. Mateus 15.14

Autor desconhecido.


Não esqueça de Comentar, sua opnião é importante para nós!!!

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Toque no Altar: Deus do Impossível


sábado, 7 de novembro de 2009

John Piper: Podemos Confiar nos 66 Livros da Bíblia?


100%Compromisso, 100%Resultado


Neste estudo queremos levar ao nosso leitor que para sermos plenamente fiéis a Deus precisamos ser 100%. Aquele que atinge 99% não é inteiramente fiel. Há certas coisas que não existem em meio termo ou somos 100% ou então não somos. Por exemplo: uma mulher não pode ficar 99% grávida (ou ela está 100% grávida ou não está grávida); Ninguém é 99% honesto, pois este 1% o torna desonesto. Ninguém será salvo 99%, pois ou será 100% salvo ou estará condenado. São os pequenos pecados (se é que existe pecado pequeno) que nos leva a perdição. Baixe este estudo.

CLIQUE PARA BAIXAR O ARQUIVO